Se tem algo que é necessário levarmos em conta, acerca de dar aulas, é o contexto das situações que, de certa forma, acabam dificultando a aprendizagem do aluno, seja no início, durante ou até mesmo no final do ano letivo.

A questão é que ministrar aula já era um desafio frente aos problemas que potencializavam o mau-desempenho dos alunos, como dificuldade de concentração ou, então, a falta de atenção de alguns professores na hora de ouvir os estudantes no curso particular, por exemplo.

Agora, em razão da pandemia do novo coronavírus, ficou claro que essas dificuldades se tornaram ainda mais evidentes, uma vez que as situações dos alunos, acerca de questões sociais e psicológicas, ficaram bem mais escancaradas.

Se a dificuldade do aluno em prestar atenção e assimilar o conteúdo se resumia a um problema da sala de aula, agora, com os efeitos da crise sanitária, fica claro que há outros fatores que vão desde a esfera pública até questões de ordem familiar.

Como esse é um assunto muito amplo, que envolve desde aquele profissional que se dedica em dar aulas particulares, até quem já precisou se adaptar em como dar aulas online, reunimos neste artigo, alguns dos principais motivos que, provavelmente, serão vistos como uma das principais dificuldades dos estudantes nos próximos anos.

Rodolfo
Rodolfo
Professor de Solfejo
5.00 5.00 (2) R$60/h
1a aula grátis!
Najla
Najla
Professor de Matemática
5.00 5.00 (79) R$90/h
1a aula grátis!
Marina
Marina
Professor de Espanhol
R$25/h
1a aula grátis!
Diego
Diego
Professor de Alemão
5.00 5.00 (10) R$100/h
1a aula grátis!
Arnaldo
Arnaldo
Professor de Auxílio na redação de dissertações e teses
R$30/h
1a aula grátis!
Mariana
Mariana
Professor de Marketing
5.00 5.00 (2) R$80/h
1a aula grátis!
Sara
Sara
Professor de Matemática
5.00 5.00 (9) R$50/h
1a aula grátis!
Alanna
Alanna
Professor de Dança
5.00 5.00 (5) R$65/h
1a aula grátis!
Jorge
Jorge
Professor de Redação
5.00 5.00 (50) R$50/h
1a aula grátis!
Thaynne
Thaynne
Professor de Pilates
5.00 5.00 (7) R$60/h
1a aula grátis!
Najla
Najla
Professor de Matemática
5.00 5.00 (79) R$90/h
1a aula grátis!
Laissa
Laissa
Professor de Cálculo
R$70/h
1a aula grátis!
Larissa
Larissa
Professor de Reforço escolar
5.00 5.00 (8) R$30/h
1a aula grátis!
Nancy
Nancy
Professor de Espanhol
5.00 5.00 (50) R$80/h
1a aula grátis!
Allex
Allex
Professor de Fotografia
5.00 5.00 (30) R$80/h
1a aula grátis!
Daniel
Daniel
Professor de Física
R$25/h
1a aula grátis!
Arthur
Arthur
Professor de Francês
5.00 5.00 (8) R$40/h
1a aula grátis!

O que pode causar a desmotivação no início do ano letivo?

Como já foi falado, há diversos motivos capazes de fazer com que um aluno se sinta desmotivado logo no início do ano letivo. E isso pode ser desde aspectos relacionados às questões sociais quanto psicológicas. Seja qual for o motivo, o importante é saber como trabalhar com estudantes desmotivados.

Desse modo, podemos nos ater a alguns problemas que há anos estão presentes no cotidiano do ambiente escolar e que, quando não levados em conta, tornam-se ainda mais prejudiciais ao estudante que passa por isso.

O primeiro é o déficit de atenção TDA que, basicamente, é um transtorno de aprendizagem responsável por afetar 5% das crianças, por exemplo, e que se caracteriza como uma dificuldade em se manter focado no estudo ou permanecer concentrado em uma determinada atividade. Além disso, o TDA provoca inquietude e impulsividade na criança.

Criança triste por estar passando por um transtorno de aprendizagem na escola.
Problemas de déficit de atenção precisam ser conduzidos por médicos especializados em neurologia e psiquiatria infantil!

O déficit de atenção coexiste, geralmente, com outros transtornos de aprendizagem, onde o aluno passa a enfrentar, durante todo o ano letivo, dificuldades relacionadas à escrita, leitura e cálculos matemáticos.

O diagnóstico bem como todo o acompanhamento, precisa ser conduzido por médicos especializados em neurologia e psiquiatria infantil, além de psicopedagogos e psicólogos.

Outro fator que pode ocasionar a desmotivação do aluno na escola é a hiperatividade que, por sua vez, acaba fazendo parte da sintomatologia de TDA. Até por isso, quando ambos são identificados, o paciente é diagnosticado com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Agora, em relação à hiperatividade isolada, vale destacar que não se trata necessariamente de um transtorno acentuado, porém, é algo que pode prejudicar o aluno em seu desenvolvimento biopsicossocial e escolar, uma vez que estamos a falar de uma situação em que esse estudante passa grande parte do tempo se sentindo inquieto, com demasiada energia e grande facilidade em se concentrar.

O acompanhamento desse aluno é feito geralmente por psicopedagogos e psicólogos, porém, dependendo do caso, pode haver um encaminhamento para um médico especialista.

Por fim, é pertinente falarmos dos problemas relacionados aos convívios sociais e afetivos, os quais são bem comuns nas escolas. Bullying e preconceitos estão entre os principais fatores que desencadeiam problemas emocionais nos alunos.

Geralmente, o perfil do aluno que sofre com esse tipo de ataque é de alguém mais fechado, tímido na sala de aula e que evita formar grupos de amizade, preferindo sempre ficar sozinho nos intervalos das aulas.

Dentre tantos problemas que poderíamos discorrer aqui, esses três que acabamos de citar estão entre os principais na causa da desmotivação dos alunos logo no início do ano letivo. E isso precisa ser visto com muita seriedade e urgência!

Quais os maiores erros a evitar com os alunos no início do ano?

Professora em frente à lousa, com uma grande interrogação na cabeça, está a pensar formas de evitar equívocos nas aulas!
A pesquisa apurada sobre a metodologia a ser aplicada em sala de aula é uma das formas de evitar erros durante o ano letivo!

Não importa qual a matéria, se você vai dar aula de inglês ou conseguiu uma vaga para professor de história, o fato é que diversos erros podem ser evitados nas aulas.

Muitos deles, no entanto, têm a ver com a a abordagem da disciplina, a didática e a organização do material a ser trabalhado durante o bimestre.

Imagine, por exemplo, que um determinado profissional acaba de preencher uma das vagas professor de geografia. O fato é que esse docente vai precisar se informar com a equipe do colégio, professores que já estão ali, e isso para que seja possível conseguir algumas dicas sobre a escola, afinal, é seu primeiro dia nesse novo emprego de professor.

Muitas coisas ele vai ouvir. No entanto, uma das principais para ministrar aulas sem cometer erros graves é ficar atento às dificuldades e facilidades de cada aluno. Ou seja, saber identificar aquele estudante que se desenvolve bem na disciplina ou então aquele que, ao contrário do primeiro, tem certo bloqueio em uma matéria.

Saber reconhecer aspectos dos alunos é algo primordial na sala de aula, pois quem consegue evitar esse erro de não identificar os aspectos do processo de aprendizagem, está a meio caminho andado para lecionar aulas de qualidade.

Outra questão importante é saber como definir metas. Uma vez que aquele sujeito que sonha em ser professor de história, onde todos os alunos vão curtir, ele precisa não cair no erro de deixar de definir cada estratégia, cada meta relacionada aos tópicos da disciplina.

A ideia para que ele seja bem-sucedido é ser capaz de cumprir todo o conteúdo programático, levando sempre melhorias para a sala de aula, com o objetivo de que o desempenho dos alunos nas provas, por exemplo, aconteça da melhor maneira possível.

Criança interessada e animada com o livro que contém diversos desafios de matemática!
Uma forma de motivar os alunos é fazer com que eles se sintam desafiados!

Outro erro comum na sala de aula é não fazer com que os alunos se sintam desafiados. Dar aula não significa apenas chegar a despejar o conteúdo. Na verdade, dar aula é ir mais além, é mostrar o quão interessante um problema pode ser, que a proposição de uma questão seja de fato complexa para que, assim, esses alunos se sintam motivados a pesquisar, estudar e encontrar soluções. Num primeiro momento isso poder ser meio que, "ensaiado" a partir de materiais de apoio nas aulas de reforço.

Não existe uma regra, uma receita pronta que institui como atuar da melhor maneira em sala de aula. Todavia, faz-se urgente ter em mente que o bom professor é aquele que consegue perceber as principais características dos alunos, sabe avaliar individualmente e possui estratégias para ajudar o discente no processo de aprendizagem. E isso tudo serve tanto para ministrar aulas no ensino público quanto para quem trabalha com aulas particulares.

Como preparar aulas que motive seus alunos?

Agora que você tem uma vaga noção do que pode causar a desmotivação dos alunos, logo no início de um ano letivo, é importante enfatizar acerca da importância de saber como preparar uma aula que motive os seus alunos.

Não importa se você vai dar aulas particulares de português ou acabou de preencher uma vaga de professor de matemática em uma instituição de ensino. O fato é que, para mostrar ao que veio, você precisa organizar uma aula capaz de atrair a atenção dos estudantes.

Para tanto, saiba que existe um detalhe a compreender, na verdade, é uma máxima que diz: as distrações do mundo contemporâneo competem com a escola.

Pois é, sabendo que eventualmente um aluno vai querer mexer no smartphone durante a sua explicação, a dica é não se programar para fazer disso um embate, mas ter a capacidade de organizar um material pedagógico de qualidade que, ao término de sua aula, esse aluno sequer perceba que o tempo passou...

Pilha de livros, cadernos e um notebook com fone de ouvido, todos dispostos para serem utilizados na preparação da aula!
No planejamento da aula é interessante contar com diversas fontes e materiais que ajudem a organizar um conteúdo completo!

É claro que isso não é fácil, mas se levarmos em conta que muitos professores se viram diante da necessidade de ultrapassar as fronteiras físicas da escola para chegar até a casa do aluno, em razão da quarentena, logo podemos inferir que esse docente precisou sim desempenhar um papel decisivo na motivação de cada aluno frente aos estudos, afinal, adaptabilidade e inovação não faltaram ali. Por conta disso, vale a pena levar em consideração algumas etapas de preparação de uma aula motivadora:

  • Reúna o material da sua disciplina que esteja atualizado;
  • Organize os tópicos relacionados a cada aula para abordar a matéria com detalhes;
  • Adote a melhor didática, com abordagens claras e precisas;
  • Leve para a sala de aula materiais adicionais de pesquisa e leitura;
  • Utilize a tecnologia como principal aliada no seu processo de ensino;
  • Seja comunicativo e bem-humorado durante as aulas.

É importante finalizar destacando que qualquer instituição de ensino se configura pelo corpo docente, diretoria, administração, alunos e comunidade escolar. Esse grupo coeso é capaz de fazer com que o ensino chegue a um patamar mais alto, inferindo aí que todo o esforço sempre é bem-sucedido quando há uma unidade.

Precisando de um professor de ?

Você curtiu esse artigo?

5,00/5 - 1 nota(s)
Loading...

Erico

Professor, roteirista, redator e CEO da ecKOa Conteúdos, além de músico nas horas vagas.