Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Orientação educacional: quanto custa para retomar os estudos?

De Joseane, publicado dia 09/09/2019 Blog > Apoio Escolar > Orientação Vocacional > Financiamento para voltar a estudar

Um adulto, ainda que já esteja inserido no mercado profissional pode manisfestar interesse em retomar os seus estudos. Aliás, voltar a estudar é um desejo muito comum e pode ser fruto de uma série de razões.

Desenvolvimento pessoal e autorrealização, mudança de área profissional, encontrar o primeiro emprego formal…as razões para querer retomar os estudos podem esta baseadas em diferentes motivações.

Obviamente que voltar aos bancos da escola ou da universidade não é tarefa tão fácil quando se é adulto e que se possui algumas responsabilidades. A falta de tempo e a falta de dinheiro são alguns dos fatores que complicam o projeto de orientação educacional de uma pessoa adulta que deseja retomar os estudos.

Do mesmo jeito, não é nada fácil ir em busca de uma nova orientação profissional quando a rotina do dia a dia impede o projeto de voltar a estudar e se especializar.

A boa notícia é que hoje em dia, há muitas opções e soluções para aqueles que querem se dar uma nova chance e refazer sua orientacao educacional mas estão sem tempo ou estão com orçamento reduzido. O acesso a formações, e as universidades públicas e privadas pode ser facilitado por meio de bolsas, auxílios e financiamento de governo e empresas.

A seguir, veja como financiar a sua retomada dos estudos na fase adulta.

Orientação profissional: quanto custa o ensino de jovens e adultos?

Educação de Jovens e Adultos (EJA) , antes conhecida como Supletivo, é uma modalidade educacional criada com o objetivo de democratizar o ensino do Brasil, possibilitando que pessoas que não tiveram acesso à escola na idade convencional concluam seus estudos nos ensinos fundamental e médio.

Ensino de jovens e adultos O EJA pode te ajudar na sua reorientação educacional

O EJA tem como objetivo combater o analfabetismo e restaurar o direito à educação negado aos jovens e adultos, oferecendo a eles igualdade de oportunidades para a entrada e permanência no mercado de trabalho e qualificação para uma educação permanente.

A modalidade EJA é ofertada em todas as redes públicas (municipais e estaduais), em universidades, redes educacionais como SESI e SESC, ONGS, associações e instituições privadas.

Fazer EJA  é parte de um projeto de orientacao educacional, cujos objetivos são:

  • Proporcionar a conclusão do Ensino Médio aos Jovens e Adultos que estão afastados da escola e desejam retomar os seus estudos;
  • Garantir ao aluno, através da modalidade de Educação à Distância, a flexibilidade entre tempo e espaço e a economia de tempo e dinheiro gerada pelo não deslocamento diário até a escola;
  • Oferecer a inclusão digital pelo uso da tecnologia na educação;
  • Propor a democratização do ensino por todos os cantos do Brasil, ajudar com a orientação educacional dos alunos;
  • Quebrar barreiras territoriais de um país de extensão continental com a utilização da tecnologia de transmissão via satélite de última geração;
  • Participar da mudança na concepção do educar tradicional, que mantém os mesmos moldes do século XIX.

A prova do EJA avalia as competências dos estudantes para a obtenção do certificado de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio.

É possível fazer o curso do EJA gratuitamente se inscrevendo na rede pública municipal ou estadual de ensino. Os cursos do EJA são ofertados geralmente no turno da noite, justamente para facilitar a participação de adultos que geralmente estão trabalhando durante o dia.

Algumas instituições privadas também dispensam de curso preparatório para o EJA mediante pagamento. O valor varia de instituição para instituição. No entanto, é possível fazer a prova do EJA sem necessariamente ter frequentando um curso preparatório. Pessoas que estudaram por conta própria ou por programas, mas não estão ligadas a nenhum programa de EJA também podem se inscrever nesses exames para pleitear o certificado.

Gostaria de mais motivação para voltar a estudar? Dá uma lida nesse artigo aqui.

Orientação educacional? quanto custa o ensino a distância?

O ensino a distância é uma solução prática e eficaz para queles que querem voltar a estudar mas não tem lá tanto tempo sobrando e/ou está com um orçamento apertado.

orientadora vocacional O ensino a distância é uma solução prática de orientação educacional.

Fazer um curso de graduação a distância é a solução ideal para as pessoas que têm uma rotina atribulada e não podem se comprometer a frequentar um curso presencial diariamente.

Entre outras coisas, essa modalidade se destaca por sua flexibilidade: o estudante ganha autonomia para estruturar a própria rotina de estudos, acessando os conteúdos no momento em que quiser de qualquer dispositivo que esteja conectado à internet.

O custo de uma formação a distância depende da instituição que o aluno escolher. É possível fazer um curso a distância gratuitamente se este estiver ligado a um centro de formação estadual ou federal ou a uma universidade pública, por exemplo.

Se o aluno preferir fazer um curso a distância ou uma formação a distância em uma instituição privada, ele terá que arcar com os custos, porém os cursos a distância são mais baratos do que os cursos presenciais.

Mudar sua orientação profissional na fase adulta não é fácil. Construir um novo projeto de orientação pedagógica dá um pouco de trabalho, mas não é impossível e a formação a distância é um dos caminhos que podem ajudar o adulto nos seus projetos de vida.

Saiba mais sobre as diferentes possibilidades de retomar seus estudos enquanto trabalha.

Financiar os estudos pelo Fies ou P-fies

É normal se perguntar ” quanto custa para voltar a estudar depois de adulto”. Como vimos, é possível voltar a  estudar e pagar pouco ou nada por isso. As oportunidades de retomar os estudos na fase adulta são várias e o investimento tanto financeiro quando de tempo podem ser bem flexíveis.

Como conquistar seu diploma pagando pouco Orientação educacional: conquiste seu sonho de fazer uma faculdade

Tudo é questão de planejamento. Para aqueles que tem mais dificuldade em se organizar sozinho, talvez seja interessante consultar um profissional de orientação educacional ou mesmo um orientador pedagógico. Uma sessão de orientacao profissional também pode ser bastante positivo.

Isso dito, vamos ao que interessa: qual o custo de voltar a estudar, fazer uma faculdade ou segunda faculdade por exemplo?

Sabemos que conseguir uma vaga em uma universidade pública pode ser bastante difícil, ainda mais quando  é adulto e não tem tempo hábil para fazer curso preparatório para o vestibular ou ENEM.

Logo, retomar os estudos fica mais viável se o estudante escolher uma universidade privada. Mas, o ônus dessa escolha é ter que custear as mensalidades, uma realidade nem sempre possível.

Felizmente existem financiamentos do governo que torna possível o acesso a universidade privada mesmo quando o aluno não dispõe de recursos financeiros. Programas de financiamento como o Fies ou o P-Fies são uma solução para os adultos assalariados que desejam retomar os estudos universitários sem comprometer completamente o seu orçamento.

O Fies é um financiamento estudantil ofertado diretamente pelo governo para o estudante. Durante o curso, o estudante deve pagar mensalmente o valor da coparticipação (a parcela dos encargos educacionais não financiada) diretamente ao agente financeiro.

Quando se formar, deverá pagar o restante de acordo com a sua realidade financeira. Isso significa que a parcela a ser paga será variável de acordo com a renda do formado e será descontada diretamente da fonte (ou seja, da folha salarial). Caso o estudante não tenha renda, deverá pagar um valor mínimo.

O P–Fies, é o Programa de Financiamento Estudantil, destinado à concessão de financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. Essa modalidade é ofertada pelas instituições financeiras, mas que contam com recursos públicos e, por essa razão, são capazes de ofertar um financiamento mais barato que o mercado, porém mais caro que o da primeira modalidade.

Para se inscrever para as modalidades Fies e P–Fies, é necessário que o candidato possua renda familiar mensal bruta, por pessoa, de até 3 (três) salários mínimos. Já para concorrer, exclusivamente, para a modalidade P–Fies, o candidato deve comprovar renda familiar mensal bruta familiar, por pessoa, de 3 (três) salários mínimos até cinco (5) salários mínimos.

Veja como escolher uma formação que agregará valor ao seu projeto de orientação educacional e profissional.

Financiar os estudos pelo ProUni

Criado pelo Governo Federal em 2004, o ProUni é um programa do Ministério da Educação que oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior.

cursar segunda graduação Orientação profissional: um diploma a mais pode fazer a diferença…

Requisitos para participar do programa:

Podem participar:

  • Ser ou ter sido estudante egresso do ensino médio da rede pública ou da rede particular na condição de bolsista integral da própria escola.
  • Estudante com deficiência.
  • Professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrante de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Nesse caso, não é necessário comprovar renda.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Para se inscrever no Programa Universidade para Todos (Prouni) é preciso ter participado do Enem e ter obtido no mínimo 450 pontos na média das notas do Exame. É preciso, ainda, ter obtido nota na redação que não seja zero.

Os bolsistas do Prouni podem se inscrever no Fies para custear o mesmo curso em que são bolsistas parciais. No entanto, não é possível, por exemplo, fazer um curso com o ProUni e outro com o Fies.

Possui dúvidas com relação as diferentes modalidades de financiamento dos seus estudos universitários? Que tal contar com a ajuda de um orientador educacional?

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar