Música Reforço escolar Idiomas Aulas particulares Artes e Lazer Esporte
Compartilhar

Orientação vocacional: o guia para decidir sua formação

De Fernanda, publicado em 20/03/2018 Blog > Aulas particulares > Reforço escolar > Orientação Vocacional > Vida profissional: é possível mudar de ideia?

“Você tem que mirar a lua, porque se você falhar, estará pelo menos junto das estrelas.” – Oscar Wilde

Escolher um emprego e uma formação ao final do ensino médio nem sempre é fácil! Hoje, a procura por orientação vocacional aumenta cada vez mais. Os estudantes têm grande dificuldade em criar um projeto educacional e profissional definitivo. Para ajudá-los, os serviços de orientação fornecem especialistas e programas com excelentes recursos para garantir o sucesso acadêmico, profissional e pessoal dos alunos.

Descubra tudo o que você precisa saber sobre como planejar seu futuro!

Por que procurar ajuda para escolher a sua carreira?

Orientação vocacional: por que fazer? E se a orientação vocacional for apenas uma questão de timing?

Você escolheu um caminho e se arrependeu da sua decisão? Você não faz a menor ideia de qual curso superior fazer? Você já está cursando uma faculdade mas acha que não é a profissão da sua vida? Acalme-se. Sempre existe uma saída.

De acordo com o levantamento do Censo da Educação Superior 2016 (Inep), 34.366 cursos de graduação foram ofertados em 2.407 instituições, para um total de 8.052.254 estudantes matriculados.

No entanto, poucas pessoas realmente conhecem as oportunidades e o conteúdo programático dos cursos universitários. Por exemplo: um levantamento feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com base em uma análise inédita de dados do Ministério da Educação (MEC) concluiu que mais da metade dos estudantes de engenharia do Brasil abandona o curso antes da formatura. Em 2007, 105.101 pessoas entraram em cursos de engenharia em instituições públicas e particulares. Cinco anos depois (tempo previsto para a conclusão do curso), apenas 42,6% dos estudantes se formaram e 57,4% haviam desistido.

Resultado: os alunos perdem anos de investimento psicológico e financeiro!

O primeiro passo, portanto, é se informar o máximo possível. Seja em sua escola, por conta própria, ou com auxílio de um especialista em orientação vocacional. A falta de informação é o início de uma escolha errada!

Além disso, no Brasil, não é incomum que um aluno siga um caminho indicado ou aconselhado por seus familiares. É claro, ter sucesso financeiro no mundo profissional permite que você viva com conforto, mas com o risco de não ter satisfação no seu dia a dia.

E sabemos que existem milhares de estudantes que percebem, depois de alguns anos de estudo, que esse ou aquele setor não é feito para eles. Por isso, procure combinar seus gostos pessoais e seu desejo de sucesso acadêmico, escolhendo um curso adaptado às suas aspirações profundas.

É por esta razão que os conselheiros de orientação vocacional recomendam um acompanhamento com base em suas habilidades e sua personalidade! A orientação vocacional é acima de tudo um estudo sobre si mesmo. Seja no final do Ensino Fundamental ou durante o Ensino Médio, os alunos precisam aprender a identificar seus desejos e expectativas em relação à suas vidas.

Carreira: como criar um projeto profissional?

Que tal criar uma verdadeira metodologia para definir um projeto de orientação vocacional?

Seja no contexto de uma orientação vocacional tradicional, uma reorientação profissional, o universitário ou o aluno do ensino médio pode facilmente criar um projeto de orientação de forma autodidata!

Escolher uma profissão é, acima de tudo, um trabalho de autoconhecimento. É um processo de profundo questionamento e de pesquisa efetiva sobre informações em diferentes áreas.

Nosso conselho: crie um projeto profissional o mais rápido possível, para evitar de perder alguns anos preciosos!

Um pequeno exemplo do conteúdo de um projeto de orientação vocacional:

  1. Autoconhecimento: hobbies, personalidade, duração desejada do estudo, tipo de estudo correspondente à sua personalidade (ensino superior, tecnológico, intercâmbio…),
  2. Descobrindo suas aptidões: preferências profissionais, habilidades, análise dos resultados escolares,
  3. Descobrindo as profissões possíveis: caminhos a serem seguidos, duração da formação, instituições de ensino superior, desenvolvimento profissional, salário, evolução,
  4. Análise da viabilidade do projeto: adequação entre o projeto e as competências do aluno, limites do projeto, dificuldades de admissão na universidade, eventual mudança.

O aluno pode formatar seu projeto em uma tabela e estudá-lo observando os diferentes elementos.

Para um bom autoconhecimento e para escolher sua profissão sozinho, pense em colocar suas ideias por escrito e explorar as possibilidades para o futuro!

Orientação vocacional: como recomeçar do zero?

Como fazer uma reorientação completa dos estudos? Desistência escolar, perda de interesse em um curso superior, descoberta de uma nova profissão… Há dezenas de razões para mudar completamente o rumo da sua trajetória educacional.

O abandono escolar é um problema real nas salas de aulas brasileiras, sobretudo no Ensino Médio. E os motivos são muitos: falta de interesse em relação ao conteúdo programático, problemas familiares, dificuldades financeiras, necessidade de trabalho na adolescência, gravidez precoce…. E problemas complexos como esses não se resolvem com apenas uma medida ou solução, mas por meio da associação de diversas iniciativas.

Uma iniciativa possível é o envolvimento em programas que abordem orientação vocacional. Escolher e decidir sobre sua vida futura (e profissão) é, acima de tudo, um trabalho de autoconhecimento. É um processo de profundo questionamentos e de pesquisa efetiva sobre informações em diferentes áreas de atuação. Na maioria dos casos, descobrir o que você quer fazer da sua vida é uma etapa obrigatória: o aluno começa a se sentir mais envolvido na sua vida acadêmica e passa a buscar naturalmente o sucesso escolar.

Agora, caso você tenha interrompido ou abandonado seus estudos no Ensino Fundamental ou Médio, sempre pode recorrer à Educação de Jovens e Adultos. Conhecida como antigo supletivo, tem como objetivo combater o analfabetismo e restaurar o direito à educação negado aos jovens e adultos, oferecendo a eles igualdade de oportunidades para a entrada e permanência no mercado de trabalho e qualificação para uma educação permanente.

A modalidade EJA é ofertada em todas as redes públicas (municipais e estaduais), em universidades, redes educacionais como SESI e SESC, ONGS, associações e instituições privadas. De acordo com seu orçamento e sua disponibilidade, verifique a oferta dessa modalidade em sua cidade.

Por fim, outra mudança de trajetória escolar bem comum é a transferência de curso superior. Em regra geral, cada universidade tem seu processo administrativo e sua lista de documentos necessários para validação.

Mas existem diferentes casos de transferência. É importante que você identifique em qual você se encaixa para poder se informar adequadamente junto à instituição de ensino superior de seu interesse:

  • Reingresso: para candidatos da mesma instituição de ensino que tenham abandonado ou cancelado o curso de graduação para o qual pretendem retornar.
  • Reingresso com Transferência Interna: para candidatos que tenham abandonado ou cancelado um curso de graduação, por sua iniciativa, e pretendam ingressar em curso diferente daquele que foi abandonado.
  • Transferência Interna: para candidatos regularmente matriculados ou com trancamento total do semestre em cursos de graduação.
  • Transferência Externa: para candidatos regularmente matriculados ou com trancamento total em cursos de outras Instituições de Ensino Superior,
  • Portador de Diploma: para candidatos diplomados em cursos de graduação reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC).

Orientação vocacional: qual curso escolher?

O final do Ensino Médio exige muito estudo, muita motivação mas também muita segurança para escolher a sua profissão!

Mas o Superprof também está aqui para trazer dicas e informações sobre os principais caminhos que você pode seguir na área de humanidades, ciências exatas e biológicas! Vamos conferir?

A área de Ciências Exatas é aquela que, em seus estudos, possui as disciplinas de Matemática, Química e Física como parte de sua estrutura principal. A Ciência Exata utiliza os cálculos para alcançar resultados precisos, por meio de métodos rigorosos. Ao contrário das Ciências Humanas, as ciências exatas buscam a precisão como metodologia. A principal característica das carreiras e dos profissionais da área de exatas é o Raciocínio Lógico.

Ao contrário do que se pensa, a área de Ciências Exatas é extremamente ampla. E, nesse sentido, as possibilidades de adequação são infinitas. No entanto, existe uma condição básica e mínima, é claro: você precisa gostar muito de matemática. Mas, por exemplo: se o estudante pretende atuar na área de informática, pode escolher o curso de Sistemas de Informação sem necessariamente ter de se especializar em estudos matemáticos.

Como regra geral, podemos afirmar que aquele que opta por cursos na área de Ciências Exatas é uma pessoa que gosta de resolver problemas, vencer desafios, conviver com a inovação e deseja contribuir para o progresso do país, desenvolvendo novas tecnologias ou atuando como professor que participará da formação desses profissionais que desenvolverão essas novas tecnologias.

Veja algumas carreiras possíveis:

  • Astronomia
  • Ciência da Computação
  • Engenharia da computação
  • Estatística
  • Física
  • Nanotecnologia
  • Química
  • Sistemas de Informação

Podemos afirmar que as humanidades são uma área do conhecimento voltada para o estudo do homem e de suas criações enquanto ser social. As principais disciplinas que compõem essa área do conhecimento são: Sociologia, Filosofia, Comunicação, Psicologia, Geografia, História, Administração, Ciência Política, Letras, Pedagogia, Direito, Relações Internacionais, entre outras.

Gostar de ler é uma característica essencial ao profissional de humanidades. Não apenas pelo fato de que os professores universitários adoram indicar no mínimo três leituras como dever de casa! Mas também porque são áreas que exigem o conhecimento de diferentes pontos de vista sobre o mesmo assunto: para que o repertório do estudante seja rico para argumentação, reflexão e pesquisa.

Também, sob esse aspecto, é necessário ter ótimo domínio da linguagem escrita – e muitas vezes em mais de um idioma! Há muita bibliografia indicada em outras línguas e que ainda não foi traduzida para o português.

Conheça algumas profissões possíveis para aqueles que se interessam pela área:

  • Arqueologia
  • Direito
  • Filosofia
  • História
  • Pedagogia
  • Relações Internacionais
  • Teologia
  • Ciências Sociais
  • Geografia
  • Letras

Orientação vocacional: qual curso escolher? Descubra as diferentes possibilidades de formação em três áreas do conhecimento.

A área de Ciências Biológicas é ampla e abrange muitas carreiras diferentes entre si. Se fosse possível resumir essa área em poucas palavras, seria o estudo da vida. Em todas as suas formas (seres humanos, animais, plantas…), desde os microorganismos até os ecosistemas mais complexos.

De modo geral, quem opta por um curso da área de Biológicas é bastante curioso, gosta do contato com a natureza e com o ser humano, e tem interesse por pesquisas em laboratórios. Seu principal objetivo é pesquisar sobre a estrutura, forma, evolução e funcionamento dos seres vivos e como eles se relacionam com o meio ambiente.

Conheça algumas opções de carreiras em biológicas:

  • Biologia
  • Biomedicina
  • Educação Física
  • Enfermagem
  • Esporte
  • Fisioterapia
  • Fonoaudiologia
  • Gestão Ambiental
  • Medicina
  • Odontologia
  • Quiropraxia
Compartilhar

Nossos leitores curtem este artigo
Este artigo trouxe a informação que você estava procurando ?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar