Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Reforço Escolar: Quais atividades aplicar?

De Joseane, publicado dia 30/10/2017 Blog > Aulas particulares > Reforço escolar > Trabalho para aula de acompanhamento escolar

Chegando a época das provas , aquela avalanche de telefonemas de pais e alunos interessados em aula de apoio e você se compromete com todo mundo, claro! Mas… e agora? Como sair da mesmice e garantir um super curso de reforço escolar cheio de atividades bacanas?

Seja para uma aula simples de acompanhamento contínuo ou aquele aulão de revisão,  sempre dar aquele frio na barriga seguido daquela metralhadora de questões:  quais exercícios aplicar durante e após a aula de reforço de maneira a otimizar o tempo de suporte escolar? Qual metodologia pode ser trabalhada com os alunos de forma a ajudá-los a progredir em autonomia?

Qual  método pedagógico deve ser adotado para obter resultados mais satisfatórios?

O Superprof revela os melhores exercícios para trabalhar com o seu aluno para que este aproveite ao máximo suas aulas, seja elas  em casa ou online, individual ou mesmo em grupo!

Bons exercícios e atividades dinamizam a aula particular

Nada melhor para um professor do que um método eficaz

Professor, não dá para falar de efetividade  e sucesso acadêmico sem uma boa metodologia de trabalho, certo? O planejamento de uma boa aula garante faz parte do método de ensino.

Atualmente , um aluno inscrito em ensino fundamental, por exemplo,  segue não menos do que 10 disciplinas ( entre elas português, biologia, matemática, história, geografia, economia, cursos de línguas, …) que representam pelo menos 25 horas de aulas por semana durante aproximadamente 40 semanas por ano. Algumas matérias já são propensas a seguir uma certa metodologia.

Por sua vez,  os professores costumam desenvolver suas próprias metodologias, levando em conta  certos fatores como a recepção da turma, e também afinidade e experiência pessoal.  Todos essas maneiras de aplicação de conteúdo, apesar de justas, chegam de maneira um pouco brutal às nossas ricas cabecinhas.

Para reduzir ou mesmo evitar o nada bem-vindo efeito “massante”, qual metodologia  um professor pode escolher para ajudar de forma produtiva o aluno em suas aulas particulares?

 

Ensine o seu aluno a ser organizado

Pois é… Pensou que eu já começaria citando Paulo Freire né?

Porém,  uma metodologia de sucesso começa pelos detalhes! Aconselhe e ajude o seu aluno a ser organizado com o seu plano de estudos. Isso não somente irá ajudá-lo durantes os seus encontros de apoio escolar mas também na sua vida acadêmica em geral. Esse master conselho servirá para um aluno matriculado do primário ao ano final, universidade… Enfim, para a vida!  Dicas práticas e de bom senso como esta, permitirá um melhor acompanhamento do aprendizado do aluno, o ajudando a desenvolver um trabalho mais conciso e eficaz.

Para começar, aconselhe-o ,por exemplo, a escrever uma lista de tarefas prioritárias e outra lista para as atividades que podem esperar um pouco mais para serem feitas.. À medida que as tarefas forem executadas, ele  pode removê-las da lista dando espaço para outras que aguardam a  serem feitas. É importante incentivar o estudante  a começar com a lição de casa que ele considera mais complicada  ou as matérias menos favoritas. De um ponto de vista psicológico, é sempre mais fácil acabar a atividade pela parte que você gosta e exige menos esforço. A recompensa no final será uma pedagogia que traz resultados.

 

A organização é uma aliada fundamental do aprendizado

Técnicas eficazes para uma boa aprendizagem

Estruture o seu curso objetivando o sucesso do seu aluno.

Oriente o seu aluno a adotar o hábito de fazer os seus deveres e tarefas assim que ele chegar em casa. Evitando, assim,  a pegadinha da procrastinação!

O tempo entre o final da aula escolar  e o início da sua intervenção com professor de aula de reforço deve ser o mais curto possível. O ideal mesmo é trabalhar a lição no mesmo dia que ela foi passada na escola . Isso permitirá que seu aluno reative os conceitos aprendidos na escola com mais facilidade através da memória curta (falo mais sobre isso na sequencia).

Do mesmo jeito, é mais fácil memorizar e completar as notas da aula no mesmo dia com a memória fresca do que dias depois, quando as lembranças já estão ofuscadas por outros conteúdos!

 

Professor,  é para copiar?

Qual professor nunca sentiu uma pequena dose de adrenalina ao ouvir essa tão famosa pergunta? Fazer anotação continua sendo o método de aprendizagem mais eficaz, uma vez que ajuda o aluno a organizar o conteúdo e também relembrar informações importantes. Assim sendo, não deixe o método morrer, não deixe ele acabar… você entendeu-risos.

Tomar notas continua sendo o método mais eficaz de assimilação de conteúdo

Tomar notas não só permite ao aluno de relembrar o conteúdo abordado na aula, mas também permite de memorizar conceitos importantes que seriam esquecidos ou passados despercebidos.

Se o hábito de anotar não é tão comum entre os universitários que, atualmente, preferem gravar suas aulas faculdade, ele segue sendo o método queridinho e quase obrigatório para os alunos do ensino fundamental e médio já que muitas escolas não permite o uso de aparelhos eletrônicos  durante a aula. O que se revela algo muito positivo já que o velho método de anotar  possibilita uma maior eficácia de aprendizado, uma vez que sem as anotações seria muito difícil observar os pontos-chave da lição e dar continuidade ao assunto em casa.

Aqui vai  algumas dicas e truques para ensinar seus alunos a otimizar sua capacidade de anotar durante suas aulas de reforço.

Anotar as idéias principais sem se ater muito aos exemplos. Para isso, deve estar atento ao que o professor diz para saber como distinguir aquilo que tem mais importância do que é menos relevante. Não hesite em deixar claro para o aluno quando você fizer referencia a algo importante, por exemplo dizendo:  “é importante anotar isso”.  Entender antes de anotar. Isso pode parecer bobo mas na hora de passar a limpo, será impossível desenvolver uma ideia que não foi compreendida. Uma tática simples que pode otimizar o tempo e a escrita seria fazer o uso de abreviaturas e símbolos, claro tomando o cuidado de não deixar o conteúdo ilegível.  O aluno deve praticar! Ter um método rápido e eficaz de anotação leva um tempo. Quanto mais seus alunos se acostumarem com esse exercício, mais efetivo ele se tornará. E talvez o mais importante de tudo, ensine ao seu aluno que é imprescindível completar suas anotações após a aula.

Agora que o aluno conhece essas táticas, você pode seguir com o seu planejamento de aula. Em seguida, observe as anotações que o estudante fez e verifique se ele entendeu todos os pontos listados acima. Através desse exercício você vai identificar as lacunas do seu aluno e focar em como resolvê-las.

Os exercícios em voz alta

Habitue o seu aluno a repetir em voz alta o que ele aprendeu

Não, não precisa gritar o conteúdo e nem cantar, se bem que esse último recurso já ajudou muito vestibulando com as fórmulas de Baskara! Mas o que é importante dizer aqui é que repetir o que aprendeu em voz alta ajuda a memorização e também a compreensão.  Como tarefa, você pode instruir o seu aluno a ler determinado parte do conteúdo e pedir que ele te explique o que ele entendeu. Isso ajuda e muito na aprendizagem autônoma do estudante. da exercícios diferentes ao seu aluno para a próxima aula de acompanhamento escolar. A atividade oral está provando ser um exercício interessante e divertido para verificar se o aprendiz entendeu os pontos abordados , e se ele tem autonomia para assimilar conceitos simples sozinho.  O método oral também permite ao professor de  identificar as deficiências do aluno durante o acompanhamento escolar.

Os diferentes tipos de memória

Segundo o dicionário Aurélio de língua portuguesaa memória é a faculdade pela qual o espírito conserva ideias ou imagens, ou as readquire sem grande esforço.  É através da memória que os conhecimentos se consolidam. Sem essa faculdade o aprendizado seria impossível. Por essa razão é interessante compreender como funciona cada tipo de memória.

Os cientistas distinguem portanto três categorias temporais de memórias:

  • Memória sensorial: As informações obtidas pelos sentidos são armazenadas por um curtíssimo espaço de tempo. A assimilação de informações nesse estágio da memória é possível através da percepção visual e auditiva.
  • Memória de trabalho ou memória de curto prazo permite que a mente conserve informações durante a realização das tarefas.
  • A memória de longo prazo permite o armazenamento durável de conteúdo em certas áreas do cérebro.

 

É um fato raro, porém alguns indivíduos possuem uma memória chamada absoluta.  Esta possibilita que o felizardo (será?)  que a possui consiga lembrar de  quase tudo os eventos que presenciou com a mesma eficiência que se lembra de um fato atual.  Bom, se o seu aluno não for um desses seres portador dessa memória rara, a ele não resta outra coisa mas se juntar ao resto dos mortais e memorizar o conteúdo tendo como aliado o  ouvir, a concentração e também a repetição exaustiva das informações recebidas durante a aula de reforço. Vale ressaltar que uma dieta equilibrada aliada a prática de atividade física regular e períodos qualitativos de sono ajudarão a manter a sanidade da memória, fazendo com que esta seja mais produtiva tanto a curto como a longo prazo.  

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar