Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Lecione a língua francesa para pessoas com dislexia

De Carolina, publicado dia 31/08/2017 Blog > Idiomas > Francês > Dicas para ensinar francês a um disléxico

Há muitas escolas que ensinam frances online ou presencial, uma das línguas mais faladas no mundo.

No entanto, quando uma criança encontra problemas relacionados ao aprendizado, é melhor encontrar o método mais eficaz para progredir adequadamente!

Uma criança disléxica pode aprender francês?

A dislexia é um distúrbio de aprendizagem específico que vem de complicações neurológicas.

Existem principalmente três tipos de dislexia: fonológica, superficial e mista.

A mais comum sem dúvida é a primeira. A criança tem dificuldades de associar sons com letras, ou seja, de entender as palavras.

A dislexia superficial evita a memorização da ortografia e, consequentemente, do significado das palavras.

Aprenda a língua francesa mesmo tendo dificuldades de leitura Como ajudar o aluno disléxico a aprender o francês mais rápido?

O misturado, como o próprio nome indica, combina os dois primeiros tipos de dislexia.

Assim, uma pessoa disléxica pode ter problemas de leitura e escrita.

Por isso, um filho disléxico está uma desvantagem na aprendizagem de uma língua?

A ortofonia, a correção de defeitos na voz e na pronúncia desempenham um papel importante na vida da criança disléxica. Esses devem ser um trabalho contínuo ao longo da aprendizagem.

Pode uma criança com dislexia aprender um idioma como francês (guia básico sobre a cultura francesa), mesmo que tenham problemas na língua materna?

É uma questão que muitos pais, preocupados e ansiosos sobre o futuro de seu filho, se perguntam.

Mas fiquem tranquilos! Uma criança com dislexia pode aprender uma ou mais línguas estrangeiras!

Embora a fonologia seja um obstáculo real para a criança, ela pode ser superada!

Basta simplesmente adaptar a aprendizagem de acordo com um método definido e efetivo.

Desta forma, seu filho não só aprenderá uma língua estrangeira (importante para seu futuro profissional e vida pessoal), mas também ganhará autoconfiança.

Métodos para ensinar leitura

Crianças com dislexia lidam com dificuldades. Para eles, aprender a ler é um verdadeiro desafio!

Na verdade, quando eles começam a estudar, eles podem achar muito difícil quebrar e transcrever palavras. Por essa razão, a correspondência entre grafemas e fonemas deve ser cuidadosamente elaborada.

Portanto, é aconselhável (dicas imperdíveis para aprender francês) recorrer à decodificação nesses casos.

Esse processo envolve esforço, mas prova que dá frutos!

Você pode criar fichas e tentar que o filho associe as letras e sílabas aos sons correspondentes.

As mesmas sílabas e sons serão repetidos na maioria das palavras!

Os alunos com distúrbios na leitura podem aprender idiomas estrangeiros Eles sempre estarão felizes em aprender, então, ensine o francês para eles!

Você entendeu bem, quanto mais se aproximar da escrita oral (ditados, por exemplo), mais fácil será para o seu filho aprender!

Assim, a criança pode expandir seu horizonte de aprendizado com uma língua estrangeira. Para facilitar essa decodificação silábica, existem alguns truques:

  • Escolha materiais escritos à mão
  • Opte por um tamanho de fonte grande: 14 ou 16, em vez de 12, o que normalmente é o padrão
  • Use um espaçamento de linha dupla para melhor legibilidade
  • Coloque as palavras mais importantes em negrito
  • Use a fonte Arial. Algumas fontes são lidas mais facilmente que outras e é mais difícil confundir letras como “b” e “d”.
  • Tenha em mente a pontuação, que pode facilitar a compreensão geral e a fluidez da leitura

Dislexia em francês, mais acessível que em inglês

Aprender uma língua estrangeira significa aprender um novo sistema fonológico, um novo léxico e novas regras gramaticais.

Como fazer uma criança com dislexia não se perder nesse processo?

Os idiomas diferem em sua dificuldade, algo que deve ser levado em consideração especialmente se o aluno sofre dislexia.

Quanto mais transparente a linguagem, mais fácil será assimilá-la.

A transparência tem a ver com a semelhança entre linguagem escrita e falada. Uma linguagem muito transparente permitirá uma descodificação fonológica mais simples.

Tecnicamente, é uma associação simples entre grafemas e fonemas.

O francês (aprenda de graça e na net) tem 190 grafemas e 35 fonemas. Assim, existem quase 200 formas de escrever centenas de sons. Como você pode ver, não é uma linguagem particularmente simples para aprender para um disléxico, mas não é impossível.

Um fato curioso é que, por essa razão da falta de transparência, há mais disléxicos na França que em outros países.

No entanto, a língua mais difícil para estudantes disléxicos é o inglês, sem dúvida.

Com mais de 1000 grafemas e cerca de 40 fonemas, o inglês pode ser um difícil obstáculo a superar para crianças com dislexia.

Como é a língua mais falada do mundo, é provável que seu filho tenha que enfrentar essa situação na escola ou na universidade.

A criança encontra todas as dificuldades deste idioma: muitas consoantes e vogais são pronunciadas de forma diferente que em português.

A transcrição de fonemas e grafemas é complicada porque, para um fonema, existem vários grafemas, numerosas palavras se parecem de maneira fonética e ortográfica…

E quanto ao francês?

O francês (aprenda com o cinema) é uma linguagem mais transparente que o inglês. Quando você se acostumar com a lógica do idioma, é fácil decodificar fonemas e grafemas.

O aluno, portanto, enfrentará menos problemas com o francês que com o inglês e assimilará as palavras e seus sons mais facilmente.

Métodos de intervenção

Existem diferentes métodos para crianças com dislexia para aprender francês (com aplicativos). Não deixe de tentar vários antes de finalmente se contentar com um.

A eficácia dessas atividades, obviamente, dependerá do aluno. Opte por um método que permita que a criança progrida ao seu ritmo.

Método multissensorial

Como o próprio nome indica, esse método tenta despertar os diferentes sentidos do aluno. Assim, promete estimular a visão, a audição e até mesmo o tato para uma melhor aprendizagem.

Ensine francês na infância para alunos com dificuldade de aprendizagem Quais ferramentas você usa para ajudar as crianças com distúrbios do idioma?

  • Dê-lhe imagens diferentes: letras codificadas por cores, filmes, fotos, objetos…
  • Teste-o com áudios: livros (leia em francês), gravações…
  • Tente introduzir gestos e jogos didáticos (para sons longos, levante o braço, para sons curtos, abaixe o braço…)

Trabalhe a memória

Sugira um exercício de memória em cada classe, com a ajuda de código de cores, áudios ou gestos.

Não se esqueça de oferecer as regras mnemônicas da escola, muito eficazes para aprender.

Você também pode encorajar a criança a criar suas próprias fichas pessoais, o que os ajudará a se posicionar melhor nos exercícios.

Para aprender o vocabulário, crie fichas que respeitem certas regras:

  • Escreva a tradução em português ao lado de cada termo
  • Ofereça áudios e vídeos para facilitar o aprendizado de vocabulário e pronúncia
  • Peça ao aluno que especifique as palavras antes de escrevê-las
  • Liste termos foneticamente diferentes todos os dias para evitar confusão
  • Realce as palavras mais importantes usando um código de cores
  • Saliente as dificuldades e as irregularidades

Para aprender verbos e gramática:

  • Classifique verbos irregulares pelas famílias
  • Elabore regras claras para cada combinação sintática
  • Ilustre cada regra da gramática com exemplos
  • Ofereça explicações em português e não em francês (aprender sozinho).

Procedimentos adaptados a cada exercício

Varie tipos de exercícios: ouvir, falar, ler e escrever.

Quanto à expressão oral:

  • Forneça materiais escritos com palavras-chave que facilitam a compreensão oral
  • Exagere a entonação para que o aluno possa entender melhor o significado do texto
  • Tente trabalhar em pequenos grupos, se possível
  • Respeite a pronúncia

Em termos de compreensão e expressão escrita, você deve ter em mente o seguinte:

  • Apresente os textos de forma clara: fale sobre o tema antes de ler o texto, sobre os personagens principais…
  • Permita que o aluno use suas fichas de vocabulário
  • Permita-lhe um tempo de leitura razoável para que o aluno não entre em pânico. Assim, ele terá mais chances de ler e entender tudo
  • Ilustre textos com imagens
  • Peça ao aluno para articular em voz baixa as palavras que ele escrever
  • Convide o aluno a revisar seus registros de vocabulário e gramática para diminuir os erros

Concentração e estrutura

Como o aluno com dislexia tem dificuldade para se concentrar, deve-se prestar atenção a estes dois pontos para ajudá-lo durante as aulas:

  • Tente manter um ambiente descontraído e reconfortante durante os exercícios. Crianças com dislexia muitas vezes têm que realizar muitas atividades ao mesmo tempo. Então, quanto menos agitação em torno dele, melhor para ele se concentrar nos exercícios
  • Organize e estruture as aulas: quanto mais lógicas e coerentes forem as aulas, mais focado o aluno será. Para fazer isso, explique o programa do dia anterior a cada aula de forma clara e concisa. É aconselhável escrever no quadro para que a criança não se perca. Além disso, os elementos essenciais sempre se destacam. Quanto mais elementos o aluno entende, mais confiança ele ou ela ganhará. Você pode usar todos os tipos de suporte didático para que seu aluno avance mais rapidamente.

Valorização Estudantil

Como valorizar o menino com dificuldades de aprendizado nos idiomas estrangeiros Valorize a criança disléxica nas aulas de língua francesa

Estudantes com dislexia geralmente não têm muita autoconfiança. E as dificuldades que experimentam, especialmente as relacionadas à leitura mais lenta que o normal, podem ser uma fonte de estresse. Muitas vezes vítimas do fracasso escolar, estão perdidas em um sistema educacional mal adaptado.

Sempre destaque o progresso e o sucesso do aluno!

Dê-lhe coragem e valorize-o, faça-o ganhar segurança e aprender a língua de Molière nas melhores condições.

Da mesma forma, ao realizar uma avaliação, tente desenvolver testes positivos com base no que a criança sabe como fazer e não focar em seus erros. Liste todos os seus pontos positivos! Finalmente, avalie os diferentes exercícios de forma justa (compreensão, expressão oral, compreensão e expressão escrita).

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar