Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Dicas para encontrar um ótimo professor de piano

De Fernanda, publicado dia 27/10/2017 Blog > Música > Piano > Como escolher seu professor de piano?

Quando você decide começar uma vida musical ao lado do piano, é importante estar bem preparado. Pronto para encarar os estudos, progredir gradualmente, ter disciplina, ser paciente e perseverante.

Você também precisa saber que o meio social tem papel fundamental nos seus estudos. Por um lado, seus conhecidos mais próximos (a família, os amigos), e por outro, pessoas um pouco mais distantes mas que também são essenciais para que você alcance sucesso na vida musical.

O professor de piano está na fronteira desses dois grupos. E com o passar do tempo, ele vai precisar ganhar cada vez mais espaço e importância na sua vida como um todo.

De professor, ele também pode se tornar mestre, mentor e, quem sabe, amigo.

Portanto, é muito importante escolher seu professor de piano. Porque vocês terão um longo caminho a percorrer juntos. Aprender melodia e harmonia nem sempre é moleza!

Então descubra como encontrar a joia rara para suas aulas de piano com todas as nossas dicas!

Qual é o perfil ideal do professor de piano?

Quais os pianistas que melhor ensinam a música de teclado? Será que existe um modelo de professor de piano perfeito ou ideal?

Não vamos chegar a dizer que há um perfil típico do professor especial de piano.

A escolha deve ser feita de acordo com o que você procura: em relação à personalidade, o nível, e os objetivos do aluno.

Um professor de piano pode ser adequado para uma pessoa e não para outra. Isso não tem relação com suas habilidades. Isso também é chamado de feeling.

Homem ou mulher: há diferença?

Não há nenhum sexismo nessa pergunta. Estamos apenas avaliando como os alunos costumam se portar diante da escolha do seu professor particular. Para o ensino, é claro que não há. Mas o aluno pode carregar certos preconceitos ou medos em função da sua vida pessoal ou da influencia de sua família. Alguns alunos realmente escolhem seus professores em função do gênero. Sim, em pleno século 21!

Mas ainda existem alunos para que os quais o gênero não faz a menor diferença. (Bravo!)

A idade do aluno também influencia na escolha. Uma criança naturalmente fica mais confortável com uma mulher. Há muito mais professoras mulheres do que homens no país, portanto alguns dos mais jovens (ou mães desinformadas!) podem criar certas barreiras caso o professor seja homem.

Já alguns adultos podem ter mais facilidades com um homem. No fundo, tudo vai depender do perfil do estudante e de sua relação com a educação. O ideal, aqui, é que ele se sinta completamente à vontade ao longo de suas horas dedicadas ao piano – não importa o gênero ou a idade do professor. Como a aula é particular, aluno e professor ficarão frente à frente, e por isso não deve haver nenhum incomodo ou intimidação.

Mas você sabe quanto custa um professor particular de piano?

Experiente? Graduado? Ambos?

No ensino de qualquer área do conhecimento, a bagagem cultural é necessária. O ensino do piano não é uma exceção à regra. Há conhecimentos técnicos, teóricos e também pedagógicos necessários ao bom professor de piano.

  • A experiência com o piano já pode bastar para indicar para um bom professor. Desde que ele tenha o domínio suficiente do instrumento e seja minimamente exigente para poder transmitir os conceitos necessários ao ensino do piano. Mesmo possuindo o conhecimento é essencial, obrigatório, aliás, conseguir transmiti-lo. Esta é uma das características mais raras de um bom professor. E requer qualidades humanas que não estão necessariamente ao alcance de todos. Facilidade para se expressar, para se comunicar. Habilidades para esclarecer algo que a princípio parece complexo. O bom humor e o gosto pela educação também são fundamentais. Um professor motivado é capaz de levar o estudante longe!
  • O diploma – em teoria – comprova as habilidades do profissional. No entanto, é crucial que o aluno investigue um pouco mais sobre a formação do professor. O nome da universidade nem sempre comprova competências concretas. Com quem ele estudou? Teve contato com músicos experientes? Quais as teorias e as técnicas estudadas ao longo da vida acadêmica? Fez estágio durante sua formação? No caso de ter estudado em instituições musicais, quais as linhas de estudo que seguiu?

O ideal, em teoria, é escolher um professor de piano que tenha um pouco de cada característica: formação e experiência. Alguém com habilidades técnicas comprovadas e confiáveis ​ e com qualidades educativas e educacionais flexíveis. Uma pessoa que saiba transmitir todos os benefícios que as aulas de teclado e piano trazem!

Como usar novas tecnologias para ensinar piano? As novas tecnologias oferecem recursos adicionais ao professor de piano.

O aluno autônomo e o aluno dependente

A escolha do professor ideal também pode mudar de acordo com o perfil do aluno. Podemos classificar os alunos, grosso modo, em duas categorias muito distintas: os autônomos e os dependentes.

Um aluno autônomo não precisa de um professor superpresente e, acima de tudo, do gênero autoritário (aliás… quem precisa?). Ele só vai precisar de um orientador que abra o caminho pelo qual ele vai passar. Se soubermos que a maioria do estudo acontece sozinho, entre as aulas de teclado ou piano, é o aluno que faz a maior parte do trabalho. O prof apenas orienta, provoca, incita, como um capitão ao leme de seu barco. O barco vai avançar de qualquer maneira, mas o professor deve dar a direção para ganhar o máximo de tempo.

Um aluno autônomo se movimenta mais depressa. A principal preocupação do professor com um aluno desse tipo é, a longo prazo, impedir que ele se perca. Pois ele é bem capaz de sair em todas as direções. Quanto ao resto, o aluno autônomo já possui todos os bons reflexos para progredir o máximo possível.

Vantagens, métodos e práticas que infelizmente o aluno dependente não possui. Este aluno é em geral mais jovem (ou criança) e inexperiente. Um estudante que está acostumado com um ambiente escolar clássico e rigoroso.

Nesses casos, a autonomia é quase zero. O professor terá mais trabalho em ensinar o aluno a aprender e a estudar. Pois, no final das contas, educação de qualidade é isso: o aluno tem de aprender a aprender.

Nesses casos, no início, a maior parte da progressão é feita durante a aula. O seu meio social – família, amigos, conhecidos – também tem papel importante nesse aprendizado, estimulando e compartilhando essas experiências.

Quais as vantagens dos melhores professores de teclado? Um bom professor de piano deve saber ensinar autonomia para seu aluno.

O que um professor de piano deve transmitir para o aluno?

Um professor de piano não é um professor de escola, muito menos um professor de ensino médio. Ele não traz conhecimento escolar. Mas traz outras habilidades, outros princípios às vezes esquecidos pelos nossos importantes representantes da educação.

Noção de organização

Tocar e aprender piano é um processo metódico. Não basta sentar na frente do seu piano digital e pressionar algumas teclas. Há etapas e passos a serem seguidos. Todas essas etapas exigem uma lógica no estudo, e uma organização muito particular na abordagem, na realização e na sequência das músicas tocadas.

O professor influencia muito nisso. Como um arqueiro, ele encontrará imediatamente qual obra precisa escolher para que o aluno progrida o mais depressa possível, e do melhor jeito possível. Tudo graças às suas habilidades e sua experiência, claro.

Prezar por um trabalho bem feito

Parece óbvio. Mas um professor de piano precisa ser perfeccionista. E, em geral, ele é. Sobretudo se ele já for pianista há alguns anos. A beleza combinada com a eficiência são as melhores aliadas do pianista em desenvolvimento.

No entanto, saiba que há algumas armadilhas a serem evitadas. Uma delas, por exemplo, é se contentar com uma música que é tocada corretamente; e se você ouvir com mais tenção vai ver que não há alma nem emoção nenhuma transmitida pelo músico. Chamamos de uma música sem vida (variações melódicas, efeitos de estilo personalizados pelo aluno, por exemplo)

Outra armadilha é também querer fazer várias coisas ao mesmo tempo. O exemplo mais ilustrativo disso é aprender o piano e aprender a teoria da música ao mesmo tempo. Estas são duas disciplinas que podem ser estudadas independentemente. Estudar as duas juntas é possível, mas exige organização e disciplina.

Finalmente, é possível falar de um bom professor de piano?

A noção de qualidade é uma ideia muito abstrata. Mas nós podemos falar de um professor adequado à personalidade do aluno em questão. No final das contas, tudo é uma questão de feeling entre o professor e o aluno.

Quando as qualidades do educador estão alinhadas às características e necessidades do aluno, podemos esperar uma relação construtiva e fértil entre os dois. Essa também é uma das vantagens de se aprender piano com um professor.

A escolha de um professor não é uma escolha vazia. Ela vai determinar o futuro musical do aluno. E este futuro pode ser nebuloso caso o relacionamento educacional for complicado ou até mesmo conflituoso.
Não menospreze essa decisão. Quem sabe, graças ao seu professor, você não se torne uma Nina Simone?

E por que não abrir portas profissionais para o futuro?

Nunca sabemos o quão longe o piano nos levará, não é mesmo? Pianista profissional? Amizade para a vida com o professor? É a eterna incerteza da música, a grande escola da vida.

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Isabel lamardo Recent comment authors
Mas recentes Mais antigos Mais populares
Isabel lamardo
Convidado
Isabel lamardo

Gostei muito das colocações sobre como escolher um professor de piano .todas as observações são procedentes. Pensei é analisei bastante ao escolher um professor.A princípio estou feliz com minha escolha.