Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Aprendendo física de maneira diferente e divertida

De Marcia, publicado dia 24/09/2019 Blog > Apoio Escolar > Física > Física e diversão podem caminhar juntas pelo aprendizado

Responda sinceramente: seus alunos parecem motivados para as suas aulas? Muitas vezes, o professor de física simplesmente finge que está tudo bem em sala de aula quando, no fundo, entende que um desânimo coletivo vem tomando conta do grupo. Assim, é possível perceber muitos com dificuldades e outros que simplesmente não se dedicam às tarefas.

Quando se trata de alunos particulares, o problema pode ser ainda mais perceptível. Um aluno que cancela muitas aulas, está sempre atrasado e vive dizendo que não teve tempo de realizar o exercício proposto para casa, pode estar, na verdade, desmotivado com suas aulas.

Entretanto, caso isso tudo esteja acontecendo, você não precisa entrar nessa “vibe” de desmotivação. Tudo o que você precisa fazer é repensar em como anda dando suas aulas, para torná-las mais agradáveis. Não estamos dizendo que suas aulas sejam chatas: talvez elas só precisem de um toque mais divertido e descontraído para se tornarem mais atraentes aos alunos. Assim, eles terão vontade de frequentá-las e você se animará, de modo que elas se tornem a cada dia melhores.

Se você entende essa necessidade, mas não sabe exatamente por onde começar a mudança, continue lendo abaixo. Preparamos algumas dicas especiais que vão ajudar você a tornar a física um assunto mais interessante e até mesmo divertido para seus alunos.

Exercite a empatia para com seus alunos

Entenda o seguinte: nem todo aluno que procurar por você (e isso inclui seus alunos particulares) gosta, de fato, de física. Muitos precisam de um reforço escolar para concluir o ano letivo ou querem passar em uma prova concorrida da qual a física faz parte. Assim sendo, você precisa exercitar sua empatia para com esses alunos.

A empatia em sala de aula é fundamental para o bom desempenho dos alunos.

Imagine o que você sentia nas aulas de português (ou de qualquer outra matéria na qual tinha dificuldades na época de escola). Provavelmente, você se perguntava por quê estava estudando aquilo tudo, se na verdade queria seguir carreira em exatas. Ao final, acabou se tornando professor também e enxerga um pouco dessa sua atitude adolescente na figura dos alunos.

A diferença é que hoje, você vê esse “não gostar da matéria” de uma perspectiva mais madura. É claro que ela não deveria ser retirada da grade escolar, como você chegou a pensar muitas vezes na adolescência. Mas… o que você gostaria de ver em uma aula difícil? Há recursos para torná-la mais descontraída.

Entender como o seu aluno se sente é o ponto de partida para iniciar uma mudança que certamente fará toda a diferença para seus alunos e para sua carreira como professor.

Não se prenda somente à teoria

O legal de ensinar física é que você não precisa ficar somente na teoria. É claro que essa parte é importante e você dedicará muitas aulas inteiras a ela. Entretanto, vez ou outra, é possível propor um experimento para testar os efeitos aprendidos.

Vamos imaginar que você acabou de ensinar sobre pressão atmosférica. É possível propor uma experiência para que seus alunos a vejam funcionar na prática. Para isso, providencie uma vela, uma bexiga, um copo e um recipiente com água. O primeiro passo é acender a vela e colocar o copo sobre ela para que o ar dentro dele se torne aquecido.

Assim que aquecer, encoste a bexiga a boca do copo, vire-o para cima e o coloque dentro da água, para que o ar se resfrie. Ao puxar a bexiga, você vai perceber que ela está presa ao copo. Isso acontece porque, à medida que você resfria o ar dentro do copo, sua pressão interna diminui, permitindo que a externa empurre a bexiga para dentro dele.

Peça então aos seus alunos que tentem puxar a bexiga para desgrudá-la do copo. Eles vão perceber que será preciso força para isso, tamanha a intensidade da pressão. Você pode também fazer o inverso: começar a aula com essa atividade para, em seguida, explicar aos alunos o porquê desse fenômeno.

Assim, quando você entrar na parte teórica, eles já terão a sua curiosidade aguçada para entender algo que acabaram de ver, e certamente prestarão atenção à explicação.

Esse foi apenas um exemplo de experimento simples que pode ser feito em sala de aula (ou mesmo em uma aula particular). Tais práticas tendem a tornar a aula mais interessante e divertida, afinal será possível ver a teoria aprendida se transformando em prática.

E pode ter a certeza também que, por mais que não goste de física, seu aluno tende a fixar melhor a matéria aprendida por meio de experimentos.

Promova eventos culturais

As aulas de física podem assumir ou novo aspecto, mais interessante, a partir do momento que você propõe algumas atividades extra aos seus alunos. Você pode complementar os conhecimentos passados a partir de visitas e passeios que se relacionem com a matéria aprendida (ou com a física, de modo geral).

Uma visita ao planetário pode despertar o interesse dos seus alunos pela física.

Organizar excursões para museus da física e planetários pode fazer grande diferença no aprendizado dos seus alunos. Além de motivá-los a enxergar a física como algo que pode se tornar divertido, você ainda “dá uma forcinha” para a memória de quem aprende.

Lembre-se de que o conhecimento adquirido em conjunto com a diversão é mais facilmente fixado. Eles dificilmente se esquecerão do que viram em um planetário naquele dia que vocês foram juntos ao local, e comeram coxinha na saída. Trata-se de uma forma de fazer com que a física esteja presente na “parte boa” do dia a dia dos seus alunos, e não somente na obrigatoriedade da frequência às aulas. Em alguns museus, princípios como inércia, gravitação e propagação do som podem ser observados de perto.

Promova passeios para que seus alunos vejam acontecer a teoria que você explicou em sala de aula. Assim, eles fixam melhor a matéria, despertam o interesse pelo assunto e entendem por que você sempre diz que a física está presente em nosso dia a dia. Pode ter certeza também que você será sempre lembrado como professor.

Use e abuse da tecnologia

É muito comum, hoje em dia, vermos jovens mais preocupados em manter-se conectados aos amigos em seus smartphones do que em prestar atenção às aulas. Mas, antes de pensar que a tecnologia é um problema, talvez seja o caso de começar a usá-la a seu favor. Você pode pensar até mesmo em aulas online.

Em sala de aula, você pode buscar programas e aplicativos específicos que simulem as leis da física. Entender que tais questões podem ser visualizadas na tela do seu próprio celular pode tornar os alunos mais interessados e propícios ao aprendizado.

Nas aulas particulares, busque ter sempre um computador por perto também. Haverá alunos que têm memória auditiva ou visual e o uso de imagens e efeitos sonoros durante as aulas, além de chamar a atenção, ainda fará com que tenham maior facilidade em fixar os conteúdos aprendidos.

A tecnologia não é um empecilho, mas uma aliada no ensino da física.

Professores devem estar sempre se atualizando. Não é possível ensinar hoje da mesmo forma que se ensinava há 70 anos. A sociedade mudou, os alunos de hoje não são mais os mesmos de antes e a tecnologia alcançou diversos avanços, chegando a patamares nunca antes imaginados.

Por essa razão, é importante sempre se reinventar para adequar-se aos modelos que vão surgindo em nossa sociedade. À medida que você se aproxima da realidade vivida por seus alunos, cria-se um relacionamento mais estreito que culmina no maior interesse e melhor desempenho durante as aulas.

Utilize o laboratório

Já falamos sobre fazer experimentos em sala de aula, não é mesmo? Mas você também pode utilizar o laboratório da escola na qual você trabalha. Propor que as aulas aconteçam por lá uma vez por mês, por exemplo, pode criar uma expectativa nos alunos, que sentirão mais vontade de frequentá-las.

A vantagem do laboratório é que trata-se de um ambiente já desenhado para a prática de experimentos. Por lá, encontra-se materiais específicos para testar as teorias aprendidas e itens para observação e estudo. Dessa forma, seus alunos não verão o tempo passar e, até mesmo aqueles que parecem não se interessar pela física, acabarão fazendo perguntas para tentar entender melhor os fenômenos observados.

Você só precisará conduzir a aula e orientar seus alunos para que tenham os devidos cuidados ao misturar determinadas substâncias, por exemplo e utilizem os equipamentos de segurança indicados para cada procedimento. Assim, será possível ensinar física de maneira divertida e eficaz.

Experimentos em laboratório podem tornar o ensino de física mais realista.

Percebeu como o fato de ensinar uma matéria exata não condiciona você a prender-se somente à teoria e ao modelo convencional de ensino? É possível sim, tornar as aulas de física mais divertidas e interessantes: você só vai precisar usar a sua criatividade e estar disposto a envolver-se no universo dos jovens de hoje. Elementos como tecnologia e materiais de laboratórios, que talvez não fizeram parte da sua formação, são hoje a sua melhor arma para conquistar a atenção dos alunos.

E você? Também deseja trazer algum diferencial às suas aulas de física? Está batalhando para tornar-se um professor diferenciado e, consequentemente, conseguir mais alunos particulares e “dar uma guinada” em sua carreira? Então, além da qualidade nas aulas, você também precisa se fazer conhecido. Como? Acesse a nossa plataforma Superprof e faça agora mesmo o seu anúncio como professor.

 

 

 

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar