Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Competências linguísticas para ser professor de francês

De Camila, publicado dia 27/09/2017 Blog > Idiomas > Francês > Nível necessário para ensinar o idioma da França

A procura pelo aprendizado da língua falada na França é cada vez maior.

O inglês continua sendo o idioma mais utilizado no mundo, principalmente como segunda língua estrangeira. O francês, no entanto, é dominado por mais 270 milhões de pessoas ao redor do globo, sendo o terceiro idioma com maior número de nativos.

A língua de Edith Piaf é ainda a segunda mais utilizada nas relações internacionais pelo fato de ser o idioma oficial de 33 nações. Uma grande quantidade de organizações internacionais também a adotam como língua falada no local de trabalho.

Dominar o francês abre, portanto, muitas portas dentro do mercado de trabalho e no universo acadêmico.

A expansão pelo interesse na língua francesa aumenta a procura por aulas do idioma. Existe, então, um aumento na demanda por aulas particulares de francês e, consequentemente, por educadores especializados em ensinar o idioma.

Você é bilíngue ou nativo francofônico e se pergunta se é capacitado para se tornar professor particular de francês? Leia esta matéria com atenção e siga nossos conselhos para comprovar se seu nível é bom o suficiente para dar aulas do idioma de Zinedine Zidane.

Bom nível da língua é o mínimo

Não precisamos nem dizer que para se tornar professor de francês é preciso, antes de mais nada, possuir um bom nível de domínio do idioma.

O que significa ter um bom nível?

  • Ser capaz de compreender bem o francês escrito e falado;
  • Falar fluentemente a língua;
  • Dominar a gramática, a conjugação e as importantes noções do idioma da França.

Em outras palavras, as bases fundamentais da língua devem ser bem claras para você; elas não podem apresentar nenhum mistério.

A profundidade do seu domínio também depende de como você deseja atuar no campo das aulas particulares. Você deseja dar aulas para iniciantes? Ou estar preparado para orientar qualquer tipo de estudante desejoso em aprender o idioma, esteja ele no nível básico, intermediário ou avançado?

Fique atento, pois o preço das aulas também variam de acordo com o nível dos alunos.

É preciso um bom domínio do francês para virar professor. Você precisa ter controle sobre a língua para pode ensiná-la.

Como virar um professor diplomado?

Para se tornar um professor com estudos reconhecidos no ensino do idioma francês como língua estrangeira, a melhor opção é fazer uma pós-graduação ou mestrado específico para esta finalidade.

No Brasil

A maioria das grandes universidades brasileiras que possuem graduação em Letras oferecem, igualmente, a opção de pós-graduação ou mestrado em línguas estrangeiras.

USP

A USP, por exemplo, tem um programa de Pós-Graduação em Estudos Literários e Tradutológicos em Francês. A especialização é oferecida pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

Ela tem por objetivo “formar mestres e doutores que desenvolvam pesquisas de alto nível sobre manifestações discursivas em língua francesa e/ou relacionadas à cultura francesa, nos âmbitos da literatura, da linguística e da tradução.  Ainda de maneira ampla para  o Programa, mantemos renovado nosso compromisso com a formação de nossos alunos por meio da atuação nos projetos de extensão universitária, na qual nos constituímos como referência na Faculdade de Letras, mas também com a ampla adoção de monitorias de pós-graduação e também de graduação, o que tem por consequência direta a divulgação de nossas pesquisas e de nosso Programa junto aos alunos de Letras em geral. Trata-se de iniciativas que tem por objetivo preparar nossos alunos para que desenvolvam pesquisa de forma independente, mas também diretamente relacionada às necessidades e demandas de uma comunidade que tem expressado crescente interesse na formação em língua francesa. ”

A Universidade de São Paulo ainda possui um grupo de estudos denominado FLEPE, o que quer dizer “Francês Língua Estrangeira – Pesquisa e Ensino”. Ele tem por objetivos “criar um espaço de formação para alunos de graduação e pós-graduação por meio da leitura e discussão de textos ligados ao ensino/aprendizagem, discutir os passos para o desenvolvimento de projetos de pesquisa relacionados ao ensino/aprendizagem do Francês como Língua Estrangeira, criar um espaço para produção de textos acadêmicos sobre os aspectos estudados e apoiar a participação em eventos científicos.

Ou seja, após a conclusão deste curso, o profissional será um expert em praticamente todos os âmbitos do idioma.

Existem vários cursos de pós-graduação no ensino do francês. Cursos de especialização podem te transformar em um expert da língua.

UFRJ

A Universidade Federal do Rio de Janeiro oferece cursos de Pós-Graduação em Letras Neolatinas. O objetivo da especialização é formar os alunos para que eles sejam capacitados a pesquisar e ensinar em nível universitário os seguintes aspectos de idiomas Neolatinos (que incluem, obviamente, o idioma de França):

  • Estudos literários;
  • Estudos linguísticos;
  • Culturas em Contato.

O curso tem por objetivo três pontos principais:

  1. Formar e capacitar docentes e pesquisadores especializados nas línguas e literaturas neolatinas e oferecer um espaço acadêmico de produção de conhecimento e reflexão sobre seu ensino e aprendizagem;
  2. Desenvolver pesquisas integradas que incorporem teorias e enfoques metodológicos atuais das áreas de Linguística, Linguística Aplicada, Teoria Literária, Literatura Comparada e Poética, voltados respectivamente para as línguas e literaturas neolatinas;
  3. Desenvolver pesquisas que integrem outras áreas de conhecimento numa abordagem interdisciplinar.

Boa notícia é que você não precisa ser precisamente formado em Letras para fazer o mestrado na área. O pré-requisito para se inscrever e tentar sua vaga na especialização é possuir um diploma de graduação em qualquer área do conhecimento.

No exterior

Os países francofônicos – França principalmente – possuem uma grande variedade de formações chamadas FLE (“Français Langue Étrangère“). A maioria das grandes universidades francesas oferecem este tipo de especialização, que pode ser feita durante a Licence (Bacharelado) ou Master (Mestrado).

Existem ainda cursos a parte que capacitam alunos a virarem professores da língua. Organismos como o CNED oferecem cursos de formação para profissionais. Tal formação ensina aos futuros professores como encontrar e aplicar as metodologias mais eficazes que favoreçam o aprendizado e a motivação dos aprendizes.

Ser bilíngue

O que significa ser bilíngue?

Pouco utilizada, esta palavra pode muitas vezes causar confusão quanto ao seu significado. Uma pessoa bilíngue é aquela que domina um idioma estrangeiro tão bem quanto sua língua materna.

Tal pessoa é capaz de compreender, escrever e falar tão perfeitamente o francês quanto o português.

Nem sempre é necessário fazer cursos específicos de especialização para dar aulas de francês. Algumas pessoas falam fluentemente o idioma, apresentando um nível bilíngue do seu domínio. Sendo assim, elas podem “pular” a etapa de aprendizado.

Ser bilíngue graças a viagens e intercâmbios

Muitas pessoas se tornam bilíngues em francês depois de uma viagem à terras francofônicas. Se você deseja fazer o mesmo, então aqui vão algumas dicas:

Muitos recorrem a intercâmbios para aprender a falar francês. Uma viagem a terras francofônicas podem te ajudar a se tornar bilíngue.

  • Opte por uma estadia em um local onde se fale a língua, como uma república universitária que só possua nativos ou uma casa de família;
  • Varie as destinações e não vá apenas para a França. Lembre-se que existem outros 32 países onde o francês é a língua oficialmente falada, como Bélgica, Suíça, Canadá (região do Quebec), dentre outros.

Esta experiência humana e pessoal te permitirá avançar no seu nível de francês, assim como enriquecerá sua bagagem cultural.

Se você pretende progredir rapidamente, o melhor conselho é uma imersão total na língua e nos costumes francofônicos locais: frequentar lugares públicos que não sejam tão turísticos (onde as pessoas não falem inglês), puxar conversa com nativos, fazer novas amizades com quem mora lá… Ou seja, você deve tentar viver um autêntico intercâmbio linguístico.

Aprender francês em um país onde ele é falado oficialmente é uma oportunidade rara. Portanto, se você tiver a sorte de viver esta experiência, a melhor maneira de tirar o máximo de proveito dela é familiarizando-se o mais rápido possível com o local e a língua. Desta forma, você terá a oportunidade de se comunicar o máximo possível.

Outro ponto positivo de ser um professor de francês bilíngue é que suas tarifas poderão ser mais elevadas do que a de professores que possuem um nível avançado, mas não tão bom quanto o da língua materna.

O francês é sua língua nativa

Algumas pessoas já nascem dentro de um contexto francofônico, são criadas falando o idioma dentro de casa e são colocadas em contato com a literatura e a cultura originárias da França desde sempre.

Tais bilíngues em francês não precisam seguir aulas ou cursos de especialização, pois a língua de Napoleão é o seu idioma nativo. Sendo assim, francofônicos de nascença não encontrarão dificuldades quanto ao domínio do francês no momento da transmissão dos seus conhecimentos sobre a língua.

Um dos pontos mais atrativos na hora da escolha de um professor francofônico nativo é a prática e o aperfeiçoamento da expressão oral pelo aluno. Sendo assim, se você é um nativo da língua, dê atenção especial à prática da fala na hora de divulgar suas aulas particulares.

Um dos pontos fortes dos professores nativos é o da expressão oral. Professores nativos podem oferecer uma boa base de expressão oral aos alunos.

O nível necessário depende do nível do aluno

Ter um excelente nível de francês é sempre mandatório para se tornar um bom professor do idioma da França?

Se um aluno iniciante quer progredir no conhecimento e domínio da língua, então é preciso que as capacidades do professor estejam à altura do tipo de tutoria procurada pelo aprendiz.

Sendo assim, é essencial que o domínio da língua francesa do professor seja sempre superior ao nível do aluno. No entanto, o tutor não precisa se bilíngue se seu pupilo está começando o aprendizado do zero.

Outro ponto fundamental é que o profissional do ensino seja capaz de escrever sem cometer erros e que possua uma fala fluente diante de qualquer tema que lhe for apresentado.

Caso você tenha dúvidas sobre seu nível, tente conversar com seu aluno e verifique se você é capaz de suprir todas as suas demandas.

Encontre um bom curso frances online no Superprof!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar