Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Conheça suas competências antes de contratar um professor

De Glicia, publicado dia 17/06/2018 Blog > Aulas particulares > Ter aulas particulares > Como escolher as aulas particulares adequadas ao seu nível?

Antes de tomar aulas particulares em qualquer disciplina e encontrar o professor que irá acompanhá-lo ao longo do ano letivo, um primeiro passo é essencial: conhecer o seu nível.

Mesmo que durante a primeira aula o professor particular seja capaz de avaliar suas habilidades, é importante que você seja capaz de se auto-avaliar, pois isso permitirá que você entenda quais são suas maiores dificuldades e qual tipo de aulas seria mais adequado para você.

Você acha que tem um bom nível em inglês, mas não pratica desde a época do colégio? Você é capaz de dizer qual é o seu nível? Debutante, intermediário, avançado, fluente?

saber seu nível evita rever conteúdos que você já conhece Quer voltar a estudar inglês? Será que seu nível é avançado ou você precisa rever alguns conceitos básicos da língua?

Outro exemplo: você estudou piano quando era mais jovem, mas passou muitos anos sem praticar e gostaria de retomar as aulas. Como saber o seu grau de conhecimentos sobre o instrumento e sobre música de forma geral? Estas questões são importantes para quem deseja retomar as aulas em uma determinada disciplina, ou começar a aprender algo do zero.

A auto-avaliação é muito útil também para estudantes que encontram dificuldades em algumas matérias, pois saber quais são os aspectos a serem melhorados evita que você perca tempo revisando conteúdos que já assimilou.

Continue lendo nosso artigo e descubra como você pode descobrir seu nível em uma disciplina e que tipo de aulas corresponderá melhor às suas necessidades.

Entenda os diferentes níveis de conhecimento e determine o seu

Basicamente, para o aprendizado de qualquer disciplina é possível estabelecer uma avaliação a partir de 4 níveis diferentes de conhecimento. Vale ressaltar que, esta avaliação não é 100% exata e que muitas vezes você terá a impressão de não se encaixar em nenhum dos níveis ou em vários ao mesmo tempo. No entanto, ela é bem útil para ajudá-lo a determinar quais critérios levar em consideração quando for escolher seu professor e o tipo de aulas que você desejaria ter.

Estes níveis são:

  1. Iniciante: um curso para iniciantes, ou debutantes tem por objetivo ensinar algo do zero, começando pelas aspectos básicos indispensáveis ao aprendizado e à progressão do aluno naquela disciplina;
  2. Intermediário: quando o aluno atinge o nível intermediário, é porque ele já adquiriu as noções básicas do assunto estudado. O objetivo a partir deste nível é consolidar os conceitos assimilados e desenvolver novas habilidades;
  3. Avançado: o nível avançado é alcançado quando o aluno não apenas adquiriu  aquele conhecimento, mas também quando ele atinge um certo nível de prática suficientemente alto para usar e aplicar os conhecimentos adquiridos;
  4. Especialista: um especialista, ou expert, é uma referência na sua própria área. Ele não apenas domina todas as nuances daquele assunto, mas também possui uma experiência significativa.

Antes de começar a estudar algo, é interessante fazer uma ou várias aulas de iniciação. Uma aula de iniciação, ou de introdução à uma determinada área do conhecimento tem por objetivo fornecer as primeiras noções e os elementos básicos sobre o assunto em questão. Se trata, na realidade, da primeira abordagem que o estudante terá sobre o tema para que ele possa analisar se de fato gostaria de continuar estudando aquela disciplina ou não.

descubra como avaliar seu nível em uma disciplina Nem sempre o nível real dos alunos corresponde às diretrizes escolares.

Quando nos referimos ao ensino escolar, o conceito de nível será aplicado para indicar a etapa do ensino em que o aluno se encontra: pré-escola, ensino fundamental ou médio, ensino superior, etc. O nível também serve para indicar a série do aluno (5° ano do ensino fundamental, 1° ano do ensino médio, etc.).

Teoricamente, o nível do aluno dentro das diretrizes escolares serve para que os professores e os pais tenham uma idéia de quais conhecimentos ele já adquiriu de acordo com o programa de ensino oferecido pela escola. Nem sempre o nível real do estudante corresponde aos critérios escolares. Algumas crianças e adolescentes podem possuir conhecimentos além dos propostos pela escola, e outras podem apresentar um atraso. Este último caso é o mais comum.

É aí que o professor particular pode intervir. Ele avaliará quais noções do programa escolar o aluno adquiriu e quais ele ainda precisa assimilar.

No caso das línguas estrangeiras, os critérios de avaliação são determinados pelo Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas – CEFR, um padrão internacional utilizado para descrever habilidades linguísticas. Ele é utilizado no mundo todo e indica as competências de uma pessoa numa determinada língua estrangeiras.

O CEFR divide o conhecimento dos alunos em três categorias: A (falante básico), B (falante independente) e C (falante proficiente). Cada uma destas categorias possuem  duas subdivisões:

  • A1: o usuário da língua é capaz de entender e utilizar expressões familiares do dia a dia, bem como frases básicas direcionadas a satisfazer necessidades concretas. Consegue se apresentar e responder perguntas sobre detalhes de sua vida pessoal;
  • A2: pode entender frases e expressões simples relacionadas a aspectos familiares ao usuário, como informações pessoais, geografia local, vida profissional, etc. É capaz de se comunicar de maneira simples em situações cotidianas que requerem troca de informações curtas e precisas;
  • B1: o usuário consegue entender os  principais pontos sobre assuntos do dia a dia como trabalho, escola e lazer. Consegue lidar com situações cotidianas no país onde a língua é falada e é capaz de produzir textos simples sobre áreas de seu interesse. Além disso, pode ainda opinar de maneira limitada sobre assuntos variados;
  • B2: entende idéias principais de textos complexos que tratem de temas tanto concretos como abstratos, inclusive textos de caráter técnico se forem de sua área de especialização. Pode interagir com falantes nativos com um grau suficiente de fluência e naturalidade de forma que a comunicação ocorra sem esforço por parte de nenhum dos interlocutores. Além disso, consegue produzir textos detalhados sobre temas diversos, bem como defender um ponto de vista;
  • C1: é capaz de entender textos que demandam um alto nível de compreensão. Sabe expressar-se de forma fluente e espontânea sem demonstrar muitos esforços para encontrar uma palavra ou expressão adequada e pode fazer uso efetivo do idioma para fins sociais, acadêmicos e profissionais;
  • C2: é capaz de compreender com facilidade praticamente tudo que ouve e lê. Pode expressar-se espontaneamente com grande fluência e com um grau de precisão que lhe permita diferenciar pequenas nuances de significado, inclusive em situações de maior complexidade.

Estes níveis oferecem um quadro de avaliação suficientemente amplo, capaz de englobar diversas competências exigidas em provas de proficiência. Quando a disciplina não possui um sistemas de avaliação de níveis muito preciso, você pode se basear nos 4 aspectos que nós mencionamos anteriormente para avaliar suas habilidades.

Nosso conselho é que você seja sincero consigo mesmo e tente avaliar de maneira precisa que tipo de conhecimento você possui naquela área. Assim, você conseguirá explicar para o professor quais são suas necessidades, o que você gostaria de aprender e para que.

Como o nível pode influenciar na qualidade das aulas?

De início, pode parecer um pouco  estranho o fato que a gente diga que é necessário conhecer seu nível em uma determinada disciplina antes de começar a fazer aulas, afinal um professor particular oferece cursos personalizados de acordo com as necessidades de cada aluno. No entanto, para que ela possa adaptar seu método e sua pedagogia, é necessário conhecer as dificuldades do estudante.

o nível do estudante influenciará no método de ensino escolhido Para que o professor use a metodologia adequada, é preciso conhecer o nível do aluno.

O seu nível inicial em uma determinada disciplina vai determinar a abordagem que o professor colocará em prática, e terá uma incidência direta sobre diferentes aspectos:

  • A metodologia usada: o professor escolherá uma metodologia de ensino de acordo com o grau de conhecimento do aluno sobre aquele assunto. Para um iniciante, por exemplo, as aulas teóricas podem ser uma parte importante do curso, já que o aluno precisa aprender as bases fundamentais da disciplina estudada. Já alunos de nível intermediário ou avançado precisam, geralmente, de aulas de aperfeiçoamento que vão privilegiar a prática através de exercícios;
  • O perfil do professor: o nível de competências e qualificação dos professores também pode variar. Enquanto  um estudante universitário tenderá a propor aulas de línguas ou reforço escolar para alunos do ensino fundamental e médio, um professor formado e experiente tem maior liberdade para escolher ou recusar alunos que ele julgue não possuir o nível esperado;
  • O preço: dependendo do nível do aluno, os preços cobrados pelas aulas também variam. Quanto mais específico for o objetivo do aluno, maior será o grau de qualificação do professor e logo, mais caras serão as aulas.

Claramente, o nível desempenha um papel importante na hora de escolher suas aulas particulares. Os professores também têm perfis e níveis muito diferentes. O que é mais interessante no ensino personalizado é que você pode encontrar o professor que mais se adequa às suas expectativas e necessidades.

Desta forma, é possível estabelecer uma relação real de confiança que contribuirá de maneira positiva no  processo de aprendizagem do aluno.

Como saber se preciso de aulas particulares?

Esta é uma questão bem pessoal e vai de cada pessoa. Estudantes de todas as fases do ensino podem vir a ter algumas dificuldades e necessitarem de aulas particulares de reforço, por exemplo. Já adultos podem precisar de um professor particular para se preparar para um concurso, para aprofundar os conhecimentos em uma determinada área ou simplesmente por curiosidade em aprender algo novo.

Fato é que, pouco importa sua idade e a razão pela qual você está à procura de aulas particulares, nem sempre é fácil começar! Para os adultos, a tarefa é ainda mais difícil, pois muitas pessoas ainda acreditam que a partir de uma certa idade, não é mais possível estudar e aprender.

perca o medo de dar o primeiro passo Nunca é tarde para aprender!

Se você sente que tem necessidade de aprender uma nova disciplina ou aprimorar seus conhecimentos, seja por questões profissionais ou pessoais, saiba que não existe idade limite para aprender. Qualquer pessoa, em qualquer idade, é capaz de aprender coisas novas.

Aprender a tocar um instrumento musical, estudar uma nova língua ou fotografia, por exemplo,  pode parecer assustador quando se está afastado dos estudos por muitos anos, mas com um professor particular tudo fica muito mais fácil.

Além dele oferecer aulas personalizadas, que correspondem ao que você busca, você poderá estudar tranquilamente na sua casa, apenas você e seu professor, e não será submetido à pressão de uma sala de aula, podendo assim aprender no seu ritmo.

Para os estudantes que se sentem constrangidos com o fato de precisarem de aulas extraescolares, saibam que não há razão para ter vergonha. Cada pessoa tem aptidões e habilidades diferentes. Talvez você precise de aulas de reforço em matemática, mas seja muito bom em português e redação, por exemplo.

Se dar conta de suas dificuldades e aceitar que você precisa de ajuda em algumas matérias não o torna menos inteligente que seus colegas. Pelo contrário, isso demostra maturidade e uma grande capacidade de reflexão e auto-avaliação, além de mostrar uma grande vontade em aprender e melhorar cada vez mais.

Qualquer que seja sua idade ou sua situação, imagine o quão gratificante será dizer às pessoas que você aprendeu alemão aos 40 anos, ou que você passou no vestibular que queria na primeira tentativa, tudo isso graças às aulas particulares.

 

 

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar