Aulas particulares Idiomas Música Apoio Escolar Esporte Artes e Lazer
Compartilhar

Como estudar para passar no ENEM?

De Marcia, publicado dia 08/10/2019 Blog > Apoio Escolar > ENEM > Seja o primeiro colocado no Exame Nacional do Ensino Médio

Uma boa pontuação no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) pode ser a garantia da sonhada vaga em uma universidade pública.

Todos sabemos que os vestibulares, especialmente aqueles para os cursos mais concorridos estão longe de ser fáceis. Muitas pessoas estudam por anos em cursinhos para se preparar para eles. O ENEM surgiria então como a possibilidade de garantir alguns pontos.

Porém, trata-se também de uma prova, para a qual é necessário se preparar. E não importa se você ainda está no Ensino Médio ou já o concluiu há algum tempo.

Muitas vezes, o fato de estar ainda na escola pressupõe que se está em contato constante com a matéria requisitada na prova e, portanto, é garantia de um bom desempenho. Esse raciocínio, entretanto, pode não ser condizente com a realidade.

É preciso se preparar especificamente para o ENEM. Muitas vezes, não basta apenas ter conhecimento sobre a matéria abordada no Ensino Médio. O bom desempenho no ENEM depende de conhecimento, é claro, mas também de uma preparação mais direcionada.

Se você deseja estudar para passar no ENEM, continue lendo. Preparamos abaixo algumas dicas de ouro que certamente vão ajudá-lo.

As provas anteriores do ENEM

Fazer bem uma prova não depende exclusivamente de saber a resposta para as questões propostas. Na maioria dos casos, é preciso mais que isso: estar acostumado ao modelo da prova, à forma pela qual as disciplinas estão dispostas faz toda a diferença.

Buscar e refazer provas antigas ajuda você a ter uma noção do modelo de prova.

Aliás, trata-se de um item importantíssimo no que diz respeito à preparação para o ENEM: conhecer a prova em si.

E isso você pode conseguir a partir da visualização de provas anteriores. Aliás, você pode até tentar fazê-las como uma espécie de treinamento e também de autoavaliação.

Ter acesso às provas anteriores é tão importante quanto entender as principais teorias da física e conhecer a gramática. Trata-se de uma questão que ajuda você a se organizar durante a prova, tanto no que se refere ao tempo disponível quanto no fato de “fazer as questões mais fáceis primeiro para poder se dedicar devidamente às mais difíceis depois”.

No site da editora Abril, existe uma sessão denominada Guia do Estudante. Lá, é possível baixar todas as provas anteriores do ENEM, desde 2009, com seus respectivos gabaritos. Caso você decida utilizar esse material, recomendamos que priorize as provas mais recentes, já que, além de conter assuntos mais atualizados, ainda se assemelham mais ao modelo atualmente utilizado.

Todas as matérias que caem no ENEM

Como o próprio nome já sugere, o ENEM engloba basicamente toda a matéria do Ensino Médio. Embora algumas abordagens possam ser diferentes de uma escola para outra, é importante lembrar que a grade curricular é a mesma em todo o país.

Sendo assim, teoricamente, o fato de ter concluído (ou estar para concluir) o Ensino Médio já seria, por si, razão suficiente para obter uma boa pontuação. Porém, na prática, não é bem assim que funciona.

É preciso focar em alguns assuntos específicos que costumam ser mais frequentemente citados também. Além disso, estar a par do cenário atual em esferas como política, internacional e social é importante até por conta do tema da redação.

Quando se tem esse conhecimento, evita-se uma abordagem demasiadamente superficial, que levaria a um texto raso e pouco argumentativo.

Vale lembrar que as provas são separadas por área de conhecimento. Sendo assim, considera-se a seguinte divisão:

  • Ciências da natureza: Biologia, química e física;
  • Ciências humanas: Geografia, história, sociologia e filosofia;
  • Linguagens: Português, literatura, língua estrangeira (existe hoje a possibilidade de escolher entre inglês e espanhol). Nesse rol, entram ainda conhecimentos referentes à Educação Física, artes, além de tecnologias da informação e comunicação;
  • Matemática;
  • Redação.

Vale ainda ressaltar que as questões podem abordar mais de uma matéria, desde que estejam dentro da mesma área de conhecimento. Por essa razão, o segredo é manter-se sempre atento, para não cair em pegadinhas ou analisar as alternativas apenas em parte e acabar errando por detalhes.

Outra questão importante diz respeito à prova de idiomas. Muitos alunos escolhem o espanhol por acreditarem que ele é “mais fácil, já que é mais parecido com o português”. Essa raciocínio pode não funcionar na prática, já que estamos falando de uma língua cheia de falsos cognatos e alguns caracteres diferentes dos que estamos acostumados a usar. Ainda que fosse mais fácil do que o inglês, isso não seria motivo para negligenciar a necessidade de estudá-lo.

As matérias nas quais você apresenta dificuldades escolares devem ser priorizadas.

O mesmo vale para a prova de inglês. Alguns alunos estudam desde muito jovens em escolas do idiomas e acreditam que a prova será fácil para eles por essa razão. Ainda assim, é importante estudar inglês especificamente para a prova do ENEM.

Mesmo que a prova de línguas represente apenas uma pequena porcentagem da sua nota, esses poucos pontos podem fazer falta na hora de somar a sua média. Portanto, vale a pena se preparar.

Se você já faz aulas particulares de um desses idiomas, converse com o seu professor para realizar uma preparação específica para o ENEM. Ele certamente o ajudará.

Aliás, a divisão do tempo de estudo por matéria é outra questão importante. É claro que você pode dispender um tempo maior para aquelas nas quais apresenta dificuldades, mas é importante não deixar de estudar nenhum dos tópicos, ainda que você domine o assunto e só tire 10 nas provas escolares.

Não basta desenvolver um plano de estudos: é preciso estudar pensando no ENEM, de maneira a preparar-se para fazê-lo sem grandes problemas.

Quantas questões de cada matéria tem?

Por falar em proporções por matéria, é importante saber quantas questões de cada assunto serão cobradas na prova. Assim, além do seu grau de dificuldade, você também pode usar esse parâmetro como critério para determinar o tempo que será dedicado aos estudos de cada tema.

Considere que cada área de conhecimento conta com 45 questões, totalizando 180 questões e mais a redação. Cada pergunta conta com 5 alternativas de múltipla escolha, das quais apena uma é correta.

O ENEM é dividido em dois dias de exame. No primeiro, normalmente aplica-se a as provas de ciências humanas, linguagens e a redação. A duração nesse dia é de 5 horas e 30 minutos.

Falando na redação, o modelo normalmente solicitado é o texto argumentativo/dissertativo. É possível ter uma ideia de qual tema será abordado, já que normalmente ele refere-se a assuntos que estão em alta à época da prova. Ainda assim, muitas são as possibilidades e sempre é possível que você tenha uma surpresa ao vê-lo, seja isso bom ou ruim.

Porém, uma boa forma de estudar é a partir da prática. Treine a elaboração de textos nesse modelo, sempre com temas atuais. Assim, você vai ampliando o seu repertório e a sua capacidade de argumentação, o que é fundamental para tornar a sua escrita mais efetiva.

Matemática e ciências da natureza normalmente ficam para o segundo dia e o aluno tem 5 horas para finalizar a prova.

Pedir ajuda aos seus professores pode ser decisivo para seus resultados.

Trata-se de uma verdadeira maratona, portanto, o ideal é que, além de estudar e conhecer o conteúdo da prova, você também durma bem às vésperas da mesma, mantenha uma alimentação natural e leve consigo alguns lanchinhos e água para serem consumidos durante a prova. A velha dica de comer um chocolate para dar energia também é super válida nesse caso.

Fazendo revisão para o ENEM

Conforme já dissemos, o fato de você estar ainda concluindo o Ensino Médio ou tê-lo concluído no ano passado não o isenta da necessidade de estudar para o ENEM. Pense que trata-se de conteúdos referentes a três anos de estudos e é natural que a sua mente não tenha registrado tudo o que foi aprendido em detalhes. Para isso, as revisões são fundamentais.

É claro que pessoas que concluíram o Ensino Médio há mais tempo necessitam de um foco maior para relembrar tudo o que já foi estudado. Mas ainda assim, em certa parte do seu planejamento de estudos, os resumos não podem ficar de fora.

Como já dissemos, o ideal é que o seu planejamento reserve mais tempo às matérias que você tem maiores dificuldades.

Os tópicos mais difíceis de serem memorizados podem ser revistos ao longo do seu tempo de estudos. Para isso, você pode preparar fichas de revisão. Para abordar os tópicos certos e otimizar ainda mais seus estudos, uma boa ideia é pedir ajuda aos seus professores de cada matéria.

Além disso, há pessoas que até contratam professores particulares para ajudar a dar um direcionamento aos estudos. Trata-se de uma ideia muito válida, já que assim se elabora resumos mais eficientes.

Enfim, qualquer que seja a sua escolha, quer você estude sozinho, quer conte com ajuda profissional, é importante manter o foco. O fato de já ter passado por determinado tópico não significa que você não precisará mais voltar a ele durante os seus estudos.

O ideal é nunca passar muito tempo sem contato com nenhum dos assuntos. Assim, você não corre o risco de perder o que já foi estudado. Aí é que entra o papel dos resumos.

A sua nota no ENEM pode ser o primeiro passo para o tão sonhado diploma.

Resumo, ajuda dos professores, aulas particulares, vídeo aulas… não importa por qual canal você deseja estudar, é possível obter um bom desempenho na prova. Basta se dedicar e acreditar!

Compartilhar

Nossos leitores adoram esse artigo
Este artigo te trouxe as informações que procurava?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
avatar