A revista que adora os profes, os alunos, as aulas particulares e o intercâmbio de saberes

Álgebra, geometria e outras, são ciências abordáveis para todos (crianças e adultos)

Par Carolina le 27/10/2016 Blog > Reforço escolar > Matemática > A lógica matemática é uma linguagem universal?
Table des matières

Quem nunca escutou: « de qualquer jeito, a matemática é uma droga, eu nunca vou conseguir, realmente não é feito para mim ».

Independente de sua idade, seu nível, se está na escolinha, no colégio ou no ensino médio, você tem certeza que está entre essas pessoas que pensam desse jeito, não é?

Entre todas as matérias estudadas na escola, a matemática é uma disciplina realmente à parte talvez porque ela seja a mais teórica e científica de todas.

A gente considera a matemática a disciplina rainha das ciências!

E você se sente o rei da matemática? Você tem o poder com a matemática?

Normalmente, você tem só duas opções:

  • Você é superdotado em matemática: você consegue acompanhar e fazer tudo desde o começo e é um dos melhores de sua sala. Enfim, o medo da matemática não te diz muita coisa.
  • Você está longe de ser um superdotado em matemática: é possível que você tenha uma defasagem e não tenha aprendido alguma base essencial da matemática como a tabuada, o cálculo integral e isso te impede de seguir em frente e você sempre está atrasado com relação aos outros alunos.

Independente do que aconteceu com você, uma coisa é certa: é impossível fazer as coisas pela metade quando o assunto é matemática. Ou você é bom, ou você não é. Será?

E esse é um motivo para você dizer que não é capaz de fazer matemática?

Fique sabendo que não há motivos para você ter medo de matemática!

Se você se sentir incapaz, com uma fobia de matemática, você tem que avaliar se esse problema não está ligado a sua autoconfiança ou se ele é realmente uma questão de matemática.

De fato, estar de bem com a vida pode te ajudar a ver essa disciplina em um ângulo diferente. Pode ter certeza de que você vai abordar a matemática com toda a serenidade, sem ter vergonha, nem medo.

Erros de matemática desenvolvem o cérebro!

A professora de matemática Jo Boaler dá aula em Stanford e passou bastante tempo estudando a questão: por que as crianças se aterrorizam com a matemática?

Recentemente, o filho de 7 anos de um amigo entrou da escola e disse para sua mãe que não gostava mais de matemática. Sua mãe perguntou o que aconteceu e ele disse: « a matemática sempre quer respostas mas não nos ensina nada ».

Essa história como várias outras ilustra que as crianças do colégio entendem que a matemática, em comparação com outras matérias, é um tema impreciso, mas que demanda respostas claras. E o que dizer do olhar de tristeza dos outros quando a gente não sabe a resposta?

É uma forma de ensino que a gente deve mudar se a gente não quiser ter uma fraqueza em matemática no nosso país.

Existe uma espécie de mito que diz que algumas pessoas são feitas para a matemática e outras não.

Não existe « cérebro matemático », mas vários jeitos de aprender matemática para as crianças, por exemplo.

A neurociência demostra que existe uma ligação forte entre opiniões, atitudes e crenças dos estudantes em si mesmo com o sucesso escolar.

Matemática não é feita só para os gênios Estude matemática de um outro jeito

A ciência sabe hoje em dia que o cérebro tem capacidade de crescer, mas também de diminuir ligeiramente. Isso foi demonstrado por meio de um estudo com os motoristas de taxi de Londres que deviam memorizar todas as ruas de Londres para ter sua permissão: concretamente, quando eles memorizavam as ruas e tentavam procurá-las de cabeça, mesmo errando, a capacidade do cérebro (graças ao hipocampo) aumentava. Já os motoristas aposentados que não precisavam mais procurar as ruas viam seus cérebros diminuírem lentamente (mas muito pouco!).

Resumindo, quando você faz um erro em um exercício de matemática (mas isso é válido para todos os domínios da vida), seu cérebro se desenvolve, principalmente na formação de neurônios que se multiplicam querendo encontrar a solução o mais rápido possível.

Então, errar é realmente humano e nos ajuda a desenvolver!

Por isso, você também pode aprender algumas dicas para melhorar em matemática.

Na leitura de várias ressonâncias magnéticas, fica claro que nosso cérebro se desenvolve quando fazemos um erro. Mesmo se você não souber que fez um erro, haverá um momento que você vai ter dificuldade: será nesse estado de stress, de ansiedade que seu cérebro vai funcionar melhor.

Isso não quer dizer que você é um gênio da matemática porque fez vários erros em aritmética, cálculo mental. Mas mostra um outro ponto de vista para o aprendizado da matemática e de outras disciplinas.

Em uma sociedade que quer a perfeição, onde tudo acontece muito rápido, tudo deve ser bem feito de primeira, a noção do erro pode ser relativizada como nesses erros matemáticos que mostram o contrário.

Implementação pela experiência (com métodos Boaler)

Um outro estudo de alunos com dificuldade em matemática mostra que o cérebro dos que tem dificuldade se comporta diferentemente do cérebro dos que não tem dificuldade.

De acordo com a experiência e o método de Jo Boaler, foi demonstrado que o cérebro se iluminava em diferentes lugares enquanto ele estudava a matemática.

Praticando o método Boaler, quer dizer, visualizando a matemática, discutindo constantemente os problemas encontrados e estudando a leitura dessa matéria, as crianças são capazes de aprender matemática quando o ensino é adaptado e eficaz.

Matemática pode ser simples com o método Jo Boaler Adote o método Jo Boaler para aprender matemática

Boaler estima também que somente 2% ou 3% da população tem dificuldades reais e concretas para aprender matemática. Fora essa pequena porcentagem, o resto da população é capaz de praticar a matemática, inclusive estudos superiores da disciplina.

As pessoas que aprenderam matemática de um jeito tradicional normalmente dão um passo para trás quando veem as representações visuais de matemática. Esse jeito de reagir vai ao encontro da compreensão do funcionamento diferente do cérebro quando temos dificuldades ou não com a matéria.

Normalmente, o seu cérebro deve iluminar e ativar várias áreas diferentes quando pensa de forma numérica. Isso quer dizer que colocamos nossas capacidades de criação em funcionamento (cérebro direito) em serviço do cérebro esquerdo, o da lógica.

Avançar em matemática é principalmente um estado de espírito

Cada vez mais os professores percebem que a autoconfiança dos alunos afeta diretamente no jeito que o cérebro reage ao aprendizado da matemática.

Ou seja, estar de bem com a vida e com a matemática modifica consideravelmente a forma de aprender essa disciplina.

Essa noção está na cabeça dos professores que querem tornar seus cursos mais interessantes e proveitosos.

De acordo com Jo Boaler, as crianças são mais capazes de praticar e conseguir em matemática que em outra matéria.

A felicidade e seu bem estar podem te ajudar na matemática Seja bem humorado e de bem com vida para aprender melhor matemática

O problema é que muitos professores pensam que seus alunos não podem atingir um bom nível em matemática e os alunos acabam pensando o mesmo que os professores.

Segundo Boaler, é muito difícil ser construtivo, estar de bem e acreditar em si mesmo escutando somente « sim » e « não ».

Ao contrário, a ciência recomenda dar problemas visuais que provocam a comunicação entre os estudantes e o professor, o que traz múltiplos ângulos de resolução.

Quanto mais você deixar os estudantes conversarem sobre matemática, mais eles vão tentar encontrar a solução. Isso porque eles vão usar sua criatividade e vão fazer de tudo para solucionar o problema.

Estudar matemática sem a noção de pressão

Claro, ter um pouco de pressão permite manter o cérebro acordado, despertar o espírito de competição que está dentro de cada um de nós.

A gente fala sempre do « bom stress » porque ele motiva, nos impulsiona a ir além, a sempre querer fazer melhor.

Mas um outro estudo de Jo Boaler na universidade de Chicago mostrou também que uma pressão constante, principalmente algo de ruim relacionado ao tempo poderia bloquear nossa memória e nosso cérebro não poderia funcionar direito.

E os bloqueios em matemática são muitos, talvez provocados por esse stress.

Fique tranquilo ao aprender matemática Aprenda matemática sem pressão

Esse é o caso principalmente de crianças que sofrem de ansiedade escolar, de stress ou que não são autoconfiantes. Então, eles perdem toda sua capacidade se eles sentem uma pressão repentina chegar.

A ironia é que os matemáticos também não são muito rápidos com os números: é uma noção que os professores valorizam mas que eles mesmos assumem que não são tão rápidos assim.

Não é raro ver professores chamarem seus alunos para encontrar a resposta rápido, reforçando a ideia para todos que só a rapidez de reflexão conta.

O programa para os testes de avaliação de alunos (PISA)

Considerado um teste de referência de matemática em vários países, o PISA (Programme for International Student Assessment) foi pensado durante muito tempo por professores certificados.

As pesquisas desenvolvidas pelo PISA demonstram que as crianças que aprendem a matemática em um processo de memorização pura são as mais fracas do mundo. Ao contrário, aqueles que refletem e criam ligações entre as diferentes noções matemáticas são os alunos mais performáticos.

PISA avalia as capacidades matemáticas dos alunos Ter um diploma da prova PISA

PISA também demonstrou que a repetição de exercícios não é útil na aprendizagem. O que os alunos precisam é de uma prática produtiva, com uma visão dos problemas de matemática indo em diferentes direções e com explicações sobre os raciocínios.

É assim que Jo Boaler revolucionou o jeito de ensinar matemática nos Estados Unidos: ela escreveu vários livros sobre esse tema para ajudar os professores a ensinar com os métodos. Ela também oferece cursos de matemática online gratuitos.

Mais de 100 mil estabelecimentos aceitaram tentar o método e uma recente sondagem indicou que 96% dos alunos gostariam de estudar mais matemática e ter seus diplomas depois de cometer e entender seus erros na matéria.

Os professores de matemática traumatizados?

E se a razão desse freio diante da matemática viesse dos professores?

O problema estaria nos professores de matemática? Os professores de matemática são os primeiros responsáveis?

Jo Boaler estima que muitos professores de matemática foram traumatizados com a matéria quando eles eram jovens e muitos trabalham da mesma maneira que seus professores no passado.

Os professores do início da escolaridade dizem frequentemente que eles têm dificuldade de encontrar outro jeito de ensinar matemática.

Trabalhando a comunicação, a visualização, discutindo sobre os caminhos possíveis para solucionar os problemas em matemática, é possível conseguir e mudar essa realidade. Isso torna esse método muito mais rico que os outros.

Tudo é uma questão de estado de espírito: é essencial que os professores de matemática sugiram uma nova pedagogia.

A gente pode aprender matemática se divertindo!

Basta ampliar o debate para não considerar mais o ensino de matemática de maneira linear. Ao contrário, o aprendizado da disciplina deve responder às necessidades dos estudantes integrando noções matemáticas. Os reforços escolares na matéria são excelentes soluções para trazer esse novo olhar.

A gente citar o exemplo da Kkan Academy que sugere aprender matemática de outra maneira, acabou-se:

  • os exercícios de matemática que dão medo
  • a aritmética, álgebra, cálculos sem explicações

A plataforma recomenda uma melhor visão e compreensão da matemática para simplificar o aprendizado. É o principal interesse desse site.

As noções, conhecimentos e pedagogia são revisadas afim de acabar o aprendizado decorado da matemática.

Você também entenderia melhor a matemática se explicassem melhor os seus conceitos?

Você pode reaprender matemática, não?

A gente poderia mesmo apostar que a resposta seria positiva, não é?

Nos précédents lecteurs ont apprécié cet article

Cet article vous a-t-il apporté les informations que vous cherchiez ?

Aucune information ? Sérieusement ?Ok, nous tacherons de faire mieux pour le prochainLa moyenne, ouf ! Pas mieux ?Merci. Posez vos questions dans les commentaires.Un plaisir de vous aider ! :) (Soyez le premier à voter)
Loading...
Carolina
Quero aprender italiano e espanhol, mas preciso mesmo é do inglês... Leio as plaquinhas nos museus, gosto de música e de cinema dos anos 70. De agora, só o Pablo do arrocha que serve.

Commentez cet article

avatar
wpDiscuz