Matemática
Inglês
Inglês
Italiano
Teatro
Fotografia
Português para Estrangeiros
Inglês
Superprof uma comunidade de
1.421.871
professores particulares independentes
TOP 10 professores
Inglês
Inglês
Programação
Fotografia
Teatro
Química
Inglês
Inglês
Matemática
Inglês
Inglês
Italiano
Teatro
Fotografia
Português para Estrangeiros
Inglês
Inglês
Inglês
Programação
Fotografia
Teatro
Química
Inglês
Inglês
Superprof uma comunidade de professores particulares independentes
TOP 10 professores
Música Violão e Guitarra Reforço escolar Matemática Idiomas Inglês Aulas particulares Dar aulas particulares
Compartilhar

Quais são melhores países e cursos para aprender a língua inglesa?

De Fernanda, publicado em 04/04/2017 Blog > Idiomas > Inglês > Onde e como estudar inglês fora do país

O Reino Unido, os Estados Unidos e o Canadá acolhem centenas de estudantes brasileiros todos os anos, por meio de intercâmbios. Mas você sabia que existem outras maneiras de aprender inglês em um país de língua anglófona, sem necessariamente passar por um programa oficial?

Você quer viajar e aprender inglês? Então o que está esperando?

Mariana

Nossos professores são realizados

”Com o Superprof, eu consegui encontrar alunos sérios, motivados e com vontade de aprender. Eu recomendo o Superprof!”

Lugares que fascinam

Embora os Estados Unidos e o Canadá são países que atraem estudantes do mundo inteiro, os critérios para ingressar são extremamente rigorosos (formação acadêmica, experiência profissional, nível da língua, conhecimento da cultura…). Os vistos de entrada não são nada fáceis de se obter. E a tendência é piorar as coisas…

Já com o Reino Unido, a Irlanda, a Escócia e País de Gales são outros quinhentos!

A Escócia é um dos destinos interessantes para se aprender inglês. A Universidade de St. Andrews

Muitos estudantes preferem a Europa e pelas mais diversas razões: o sonho de viver na Europa, as diferentes paisagens, os diferentes sotaques, conhecer um país do Velho Mundo…

Muitos são atraídos por cidades como Londres, Manchester, Liverpool ou Southampton, mas também por Dublin, Edimburgo e Cardiff.

Nesses locais há uma intensa vida estudantil e, com certeza, não vão faltar festas para se divertir.

Os critérios para escolher um país anglo-saxão

Antes de sair para estudar em um país de língua inglesa, existem diferentes critérios a serem levados em conta.

A questão do nível

Nível dos estudos

Acima de tudo, é importante verificar se você tem as qualificações e diplomas exigidos pelas instituições pelas quais tem interesse.

Se você quiser seguir um programa classificado como “undergraduate“, você não precisa ter Ensino Superior Completo. Agora se você quiser entrar em um curso de Bachelor, as coisas ficam complicadas: você precisa validar os créditos de acordo com o sistema de crédito ECTS, reconhecido no mundo todo hoje.

O sistema de créditos ECTS é um sistema europeu de transferência e acumulação de créditos. Por exemplo: uma disciplina de 4 créditos na Unicamp é equivalente a uma disciplina de 6 ECTS (Sistema Europeu de Transferência de Créditos) e corresponde a 4 horas de aulas presenciais por semana.

Nível da língua

Qualquer instituição anglo-saxã vai exigir certificação do nível dos seus conhecimentos em inglês, para identificar se você tem bases suficientes para continuar aulas em um idioma que não é o português.

Por isso é aconselhável realizar um ou mais exames que certificam o nível da língua: TOEIC (Test of English for International Communication), TOEFL (Test of English as a Foreign Language, certamente o exame mais comum agora, reconhecido por 9000 instituições) ou IELTS (International English Language Testing System, o exame mais popular do mundo) estão entre os mais respeitados do mundo.

Procure obter essas informações o mais cedo possível: por exemplo, se o estabelecimento que você deseja ingressar exige determinado exame ou inclusive uma determinada quantidade de pontos. Assim, você terá mais tempo para se organizar.

Prepare-se para estudar bastante para estes exames: algumas universidades têm requisitos bastante exigentes, como, por exemplo, nos Estados Unidos, onde algumas instituições exigem 80 pontos no TOEFL e pelo menos o nível 7 no IELTS.

No entanto, se você não conseguir chegar a essas pontuações, não desista! Várias outras universidades oferecem formações especiais, com aulas intensivas de inglês.

Outras habilidades

Para estudar em um país de língua inglesa, boas notas e resultados escolares não bastam: na verdade, o processo seletivo também leva em conta suas habilidades e competências.

No Reino Unido e nos EUA, em particular, as universidades dão muita importância para as competências e as habilidades de cada candidato, seja no esporte, em artes ou simplesmente qualidades pessoais.

Se você faz trabalho voluntário, se é líder de um movimento estudantil, se tem responsabilidades na gerência de um escritório, se você fez escotismo, se pratica esportes competitivos, se desenvolve atividades artísticas como teatro, cinema, música, artes visuais ou se você viaja com frequência, não hesite em incluir tudo isso em seu dossiê de candidatura. Esses atributos podem fazer toda a diferença no processo seletivo!

Quais as competências necessárias para estudar numa faculdade no exterior? Ser esportista pode ser um diferencial para ingressar em uma universidade estrangeira.

Descreva o que você aprendeu com essas experiências e coloque em destaque seus pontos fortes, suas principais realizações.

Para estudar no exterior, especialmente no sistema universitário anglo-saxônica, é fundamental demostrar que você está motivado, é dinâmico, tem mente aberta, possui talentos e, acima de tudo, é capaz de se adaptar a um novo ambiente.

Boas razões para estudar em um país anglo-saxão

Aprender e aperfeiçoar uma língua

Quando você está imerso 24h / 24, durante vários meses, em um novo ambiente linguístico, seu domínio do idioma inglês com certeza vai dar um salto.

Você entende, você fala, você lê, você escuta tudo por meio de canais diários (rádio, TV, Internet, telefone e também as conversas corriqueiras e as aulas de inglês).

Você está imerso num treino diário para se tornar bilíngue!

Conhecer uma cultura

Ir a um países anglo-saxão é uma grande oportunidade para descobrir o país, uma nova cultura, entender suas diferenças, ou seja: descobrir a sua essência.

Quais as vantagens de estudar fora inglês. Fazer uma viagem linguística é adquirir uma experiência única e ganhar maturidade.

Se preparar para o futuro

Ao morar durante um período em um país de língua inglesa, você vai melhorar efetivamente seu nível atual do idioma.

Esta é sua grande chance de aumentar as oportunidades de sucesso nos estudos e se preparar para futura vida profissional.

Passar alguns meses no exterior pode fazer a diferença em um currículo; é um atributo único, um investimento a longo prazo.

Adquirir autonomia

Claro, para estar longe de sua família, dos seus amigos, das suas referências habituais, é preciso se adaptar.

Esta é uma excelente oportunidade para aprender a cuidar de si mesmo, saber reagir frente ao novo e ao inesperado.

Se conhecer melhor

Por fim, morar em um país onde você só fala em inglês, todos os dias, lhe permitirá conhecer melhor você mesmo. Sozinho, você convive com o seu eu verdadeiro, identifica seus valores mais profundos, seus verdadeiros objetivos na vida.

Entrar nesse estado de “desenraizamento” fará você assumir grandes  responsabilidades. Isso será um teste importante para sua motivação de vida mais profunda.

Dicas para estudar em um país de língua inglesa

Não se mude cedo demais

A priori, nada o impede de viajar para a Inglaterra ou para os Estados Unidos depois de acabar o Ensino Médio, para estudar em uma universidade de sua escolha.

Mas esteja ciente de que você vai ser mais bem acolhido se já tiver alguma vivência no ensino superior por aqui.

Se você já tiver um diploma, poderá ser direcionado para níveis superiores de “postgraduate” (pós-graduação, como Espacialização, MBA, Mestrado…).

Os detentores de um diploma de Ensino Médio Técnico ou com Superior Incompleto têm mais dificuldades de estudar no exterior.

Intercâmbio

Obviamente, esta é uma das melhores maneiras de estudar fora do país.

Os alunos que já cursam alguma universidade federal brasileira ou uma universidade particular que tenha convênio com instituições estrangeiras têm a opção de viajar para vários países da Europa, incluindo o Reino Unido, Irlanda, País de Gales, etc.

Muitas universidades, inclusive, oferecem programas com bolsas integrais e semi-integrais, durante todo o período de estudos no país de língua inglesa. Mas saiba que o direito à bolsa é cedido apenas sob a garantia de você não trabalhar paralelamente.

O nível da língua

Para estudar fora do país, é essencial ter um nível mínimo da língua.

Em função da universidade em que você vai estudar, os critérios de seleção são diferentes: a seleção é feita de acordo com o seu nível de linguagem, especialmente no que se refere a programas de intercâmbio. Algumas escolas também fazem você passar por uma entrevista oral (as melhores citações em inglês podem ser úteis).

Para estudar Economia, talvez você precise ter o Graduate Management Admission Test (GMAT).

Partir por pelo menos 1 ano

Para realizar progressos efetivos em inglês, é altamente recomendável morar fora durante pelo menos um ano e, se possível, ficar mais depois de alguns meses para um estágio.

Descubra frases úteis em inglês para se comunicar com os habitantes locais!

Nos primeiros meses você vai ter de assimilar muitas novidades, sobretudo para enfrentar o desconhecido e conseguir se adaptar. Só depois de algum tempo que você vai aproveitar a sua estadia e mergulhar fundo na cultura e do idioma inglêses.

Saiba mais sobre a graduação sanduíche

Nem sempre é a universidade estrangeira que emite o seu diploma.

Para você obter o certificado da universidade parceira, deve passar por pelo menos 6 meses no local.

A “graduação-sanduíche” é uma modalidade de Curso Superior em que o universitário realiza um período da universidade fora do país e outro no país de origem.

Antes de entrar em qualquer grande instituição superior ou em uma universidade de língua inglesa, procure saber mais sobre acordos internacionais.

Bolsas e auxílios

Estudar nos países anglo-saxões exige um investimento: as passagens, os deslocamentos, o alojamento, a inscrição na universidade, sem esquecer a vida cotidiana (alimentação, entretenimento, saídas, etc.).

Algumas bolsas e auxílios podem ser cedidas sob certas condições.

Verifique diretamente com a universidade de sua escolha, mas também com a Prefeitura ou Departamento de destino.

Outra alternativa também pode ser arranjar um trabalho, o que trará, sem dúvida, uma nova experiência e imersão completa na cultura.

Em Londres, estas práticas são muito comuns entre estudantes.

A questão da moradia

Antes de ir para o exterior e estudar, procure se informar sobre como funciona a moradia na cidade.

Se você decidir ir para uma cidade grande como Londres, Dublin ou Nova York, os preços são altíssimos.

Você sabe onde morar para estudar inglês? Faça uma investigação completa de onde você vai morar!

O importante é se preparar com antecedência, se informando, por exemplo, sobre o seu companheiro de quarto, ou sobre quais são os melhores bairros para morar. Veja também a nossa seleção dos melhores destinos para aprender inglês.

E se você não quiser estudar, você ainda pode decidir cair na estrada na Nova Zelândia! Que tal?

Compartilhar

Nossos leitores adoram deste artigo
Este artigo trouxe a informação que você estava procurando ?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe um comentário

avatar
wpDiscuz