A revista que adora os profes, os alunos, as aulas particulares e o intercâmbio de saberes

Confirme seu nível de língua inglesa para ensinar

Par Carolina le 03/04/2017 Blog > Idiomas > Inglês > Quais diplomas ter para dar aulas de inglês?
Table des matières

Uma coisa é ter vontade de dar aulas particulares. Outra é ser capaz de lecionar com qualidade…

Não é novidade que há muitas exigências para tal: a motivação ajuda muito, principalmente em um projeto profissional! Além de saber escutar os outros, ter pedagogia, gostar de transmitir os conhecimentos…

Mas é importantíssimo também ter um bom nível na disciplina que você quer ensinar. No caso da língua estrangeira não é diferente!

Estudos na área, experiências no país onde a língua é falada, tudo isso conta. E os diplomas e certificados de proficiência no idioma?

Eles são essenciais para dar mais credibilidade a sua experiência.

Então, não deixe de colocar tudo isso (de forma resumida, claro) no seu anúncio de aulas particulares. O seu nível no idioma e sua experiência são os elementos que vão atrair os alunos. Assim, seu anúncio vai transmitir confiança e vai chover de gente querendo fazer aulas com você!

Mas como confirmar seu nível de inglês? Qual certificado, diploma fazer para legitimar todos os anos dedicados à língua inglesa? Nós pesquisamos vários entre os mais conhecidos mundialmente.

É claro que a escolha do certificado vai depender do público que você quer conquistar. Isso porque cada diploma tem suas especificidades e é direcionado para cada tipo de candidato: aquele que quer aprender por razões profissionais, acadêmicas, turismo, para morar em um país anglófono etc…

Além disso, ensinar o inglês para uma criança é bem diferente de dar aulas de aperfeiçoamento para um aluno de nível intermediário. Então, você também vai ter que se adaptar ao tipo de aluno.

E não se esqueça da concorrência! Muitos profissionais querem conquistar os mesmos alunos e dar aulas particulares em domicílio como você.

Então, não ache que os interessados não vão deixar de comparar todos os anúncios, ver qual professor tem mais experiência, melhor nível de inglês e melhor preço.

Por isso, quanto mais certificados, qualificação você tiver, mais alunos terá!

TOEFL, TOEIC, GMAT: qual diploma de inglês escolher?

Atualmente, os estudantes já estão acostumados com os vários testes  para saber a fluência da pessoa em língua estrangeira.

O TOEFL, o TOEIC e o GMAT são os certificados de inglês mais conhecidos no mundo.

O Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas serve como base para definir os níveis dos alunos de alguns testes: A1, A2, B1, B2, C1, C2. O TOEIC, por exemplo, utiliza corres.

Mas a maioria dos certificados em inglês é feito e organizado por instituições anglófonas. Isso gera uma seriedade e autenticidade pelo fato desses « pedaços de papéis » serem emitidos 100% língua inglesa.

De qualquer jeito, independente da fórmula escolhida, saiba que é muito enriquecedor provar suas capacidades através de critérios universais.

Não basta saber falar Inglês, tem que provar! Se quiser provar sua proficiência na língua, não se esqueça dos testes

O Test of English as a Foreign Language (Teste de Inglês como uma Língua Estrangeira), o TOEFL exclui naturalmente aqueles cuja a língua inglesa é a língua materna. Normalmente, ele é exigido por cursos superiores no exterior.

Esse teste é feito pelo ETS (Educational Testing Service) na universidade de Princeton. As questões das provas são de múltipla escolha.

Ele avalia quatro domínios: a compreensão escrita e léxica, a compreensão oral, a expressão oral e a expressão escrita.

A gente pode fazê-lo em diferentes suportes: papel (PBT com a nota total de 677 pontos) e internet (iBT com 120 pontos no total). A opção online substituiu a versão CBT (versão informatizada abandonada em 2006).

Conte algumas centenas de dólares e três, quatro horas para uma avaliação que tem dois anos de validade.

Não há uma nota a ser atingida. O resultado é indicativo e permite determinar em uma escala o nível do candidato.

O TOEIC (Test of English for International Communication) é um outro teste do ETS. O perfil aqui é mais profissional e comercial.

Existem duas versões: o Listening & Reading (2h) para a compreensão na sua globalidade com o total de 400 pontos; o Speaking & Writing (1h20 aproximadamente)  para expressão em geral com o total de 990 pontos. Para indicar os resultados, eles utilizam diferentes cores: dourado, verde, marrom e laranja.

Essa certificação também é paga e « queridinha » de várias empresas, principalmente na Ásia. Algumas o exigem em seus processos seletivos e, às vezes, seus empregados fazem o teste regularmente.

O GMAT (Graduate Management Admission Test) se direciona em particular aos estudantes em administração de empresas e gestão em escolas internacionais ou para entrar em um MBA.

Expressões e compreensão escritas e orais são avaliadas para estabelecer o resultado com 800 pontos no total.

A experiência anglófona

Parece que os profissionais do GMAT não precisam necessariamente fazer um certificado de nível de inglês para dar aulas particulares.

O TOEIC é um bom indicador quando se trata de manejar uma língua internacional: antes de tudo, vários profissionais do privado querem ter aulas particulares para obter promoções e perspectivas de evolução.

O TOEFL tem a vantagem de poder ser feito durante os estudos. Isso é perfeito para os estudantes não nativos que querem completar sua renda no fim do mês.

 

Saiba a língua inglesa e abra-se para o mundo! Se você tem vontade de conhecer outros países, o inglês é uma boa porta de entrada!

A gente ainda poderia falar do International English Language Testing System, o IELTS, do British Council, mas ele é aceito principalmente nos países anglófonos. Normalmente, ele é exigido para os imigrantes que querem se ingressar nesses países.

Ainda, o OPI (Oral Proficiency Interview) e o OPIc (Oral Proficiency Interview by Computer) que são normalmente aplicados para a expressão oral no mundo profissional.

A universidade de Cambridge na Inglaterra propõe vários exames adaptados para todas as idades e todas as situações.

Nada é indispensável! Mas tudo que valida a sua experiência em inglês é importante.

Nem todo mundo também é sensível aos diplomas. Uma avalanche de certificados linguísticos em um currículo pode ficar estranho.

O mais difícil talvez seja arrumar os primeiros clientes que serão a melhor maneira de testar seus conhecimentos.

Se sua qualidade pedagógica for boa, não se preocupe! Você vai fidelizá-los e eles vão fazer o boca a boca! Assim, você terá seus próximos clientes naturalmente!

Você é nativo?

Ser bilíngue inspira muita confiança! Principalmente quando a pessoa que dá as aulas vem de um país anglófono!

A gente adora ter aulas com um estudante estrangeiro dos Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Austrália… Além de aprender o inglês com alguém sem sotaque, ou com o sotaque regional do país (adoramos os britânicos!), a gente aprende muito sobre a cultura e os hábitos.

Se esse é o seu caso, melhor ainda! Se não, você pode sempre tentar essa aventura de um outro jeito, com algum brasileiro que aprendeu o inglês!

Não é só o lugar de nascimento que conta. Porque uma coisa é saber falar, outra é transmitir o nosso conhecimento!

Passar vários anos no exterior é uma super experiência que teve ser valorizada. Principalmente porque o brasileiro que sabe inglês conhece quais são as principais dificuldades na hora de aprender porque ele já passou por isso!

Em uma economia mundializada, não é difícil encontrar alguém que tenha feito uma parte de seus estudos em outro país ou até mesmo ter sido escolarizado em uma escola americana, por exemplo.

Quem precisa de diploma?

Não é preciso ter um diploma específico para dar aulas particulares de inglês! Isso é somente um diferencial.

Porém, o diploma vai ser importante se quiser entrar no universo de grandes multinacionais ou ser funcionário.

Com a experiência no exterior, você pode dar aulas particulares Inglaterra pode ser um país maravilhoso para se aprender inglês

Para uma pós-graduação, um mestrado, um MBA, o certificado de proficiência na língua também é muito importante.

Justificar a sua experiência profissional

A gente fala muito do bilíngue: aquela pessoa que teve uma grande experiência internacional e aprendeu muito a língua ou nascida de pais de diferentes origens.

Nem todo mundo tem essa chance! Mas você pode aprender com eles que tiveram o pai, a mãe estrangeira ou descendente de estrangeiros ou alguém que teve uma vasta experiência no exterior.

Assim, você também pode se tornar um especialista ou ter uma promoção em seu trabalho graças ao inglês!

Ou se não, por que você não tenta suas chances nos Estados Unidos ou Reino Unido?

Uma experiência profissional em um país anglófono é uma verdadeira imersão, como os estudos. Isso proporciona não só o conhecimento da língua, mas também da cultura no trabalho e no dia a dia.

Uma boa opção para melhorar o seu currículo sem precisar de fazer testes de proficiência no inglês.

Não basta ser chique, o importante é saber falar idiomas Seja um verdadeiro gentleman aprendendo a língua no país anglófono

A primeira etapa é saber quais são os seus objetivos aprendendo o inglês. Você quer dar aula no ensino básico? Na universidade? Quer dar aulas particulares? Conseguir um emprego melhor? Ter uma promoção?

Para as aulas particulares, não há receita de bolo. O TOEFL pode ser um meio para comprovar suas competências em inglês. O TOEIC também, mas se você quiser dar aulas para profissionais, adultos…

Um estágio intensivo no exterior não vale um longo período de estudos e trabalho. É uma excelente maneira de conhecer a cultura local, elemento que não podemos ignorar para ensinar a língua inglesa.

Nos précédents lecteurs ont apprécié cet article

Cet article vous a-t-il apporté les informations que vous cherchiez ?

Aucune information ? Sérieusement ?Ok, nous tacherons de faire mieux pour le prochainLa moyenne, ouf ! Pas mieux ?Merci. Posez vos questions dans les commentaires.Un plaisir de vous aider ! :) (Soyez le premier à voter)
Loading...
Carolina
Quero aprender italiano e espanhol, mas preciso mesmo é do inglês... Leio as plaquinhas nos museus, gosto de música e de cinema dos anos 70. De agora, só o Pablo do arrocha que serve.

Commentez cet article

avatar
wpDiscuz