Música Reforço escolar Idiomas Aulas particulares
Compartilhar

Saiba a língua portuguesa através da cultura do Brasil

De Carolina, publicado em 18/07/2017 Blog > Reforço escolar > Português > Aprenda português através da literatura, música e cinema

Nós somos uma nação relativamente jovem. Enquanto na Europa, vários países têm séculos e até milênios de história, nós temos um pouco mais de cinco séculos.

Ok, havia a população indiana que ocupava as terras antes da colonização dos portugueses. Mas pouco se sabe sobre ela e nossa nação se construiu a partir da chegada deles ao território que deram o nome de Brasil.

Devido à colonização portuguesa, nós também temos a língua deles como oficial, o português.

Logo, logo, os nativos brasileiros se apropriaram da língua dos colonos, misturaram alguns termos oriundos dos povos indígenas e dos africanos que povoaram também nossas terras.

Daí surgiu o português do Brasil ou brasileiro (como alguns estrangeiros gostam de falar). Com tanta riqueza cultural presente no nosso país continente, seu povo transmitiu sua diversidade para a música, cinema e literatura do nosso país.

Na música, podemos citar Carmen Miranda, portuguesa que se naturalizou brasileira, Ary Barroso, Antônio Carlos Jobim, Vinícius de Moraes, Chico Buarque

Aprenda a língua com as canções brasileiras O Brasil é muito rico em ritmos e letras musicais

Já no cinema, vários diretores souberam passar através de imagens e histórias nosso legado: Nelson Pereira dos Santos, Glauber Rocha, Cacá Diegues, Bruno Barreto, Walter Salles, Eduardo Coutinho, Fernando Meirelles, José Padilha…

Na literatura, tanto com romances, contos, poesias, há muitos autores de qualidade: Machado de Assis, Monteiro Lobato, Cora Coralina, Mário de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes, Clarisse Lispector, Guimarães Rosa, Cecília Meirelles, Adélia Prado…

Então, mesmo se somos jovens como nação, somos muito bons para escrever, compor, dirigir, atuar!

Por isso, conheça alguns dos grandes artistas brasileiros que enriqueceram e enriquecem cada vez mais nossa língua portuguesa!

Mariana

Nossos professores são realizados

”Com o Superprof, eu consegui encontrar alunos sérios, motivados e com vontade de aprender. Eu recomendo o Superprof!”

Utilize a poesia para dar aulas de português

A grande vantagem da poesia com relação a todos os outros formatos de textos é que ela é a literatura em forma de arte, literalmente!

Porque não há um outro formato que requer tanto cuidado com a forma, métrica, rima, figuras de linguagem como os poemas.

Além do cuidado estético, as poesias transmitem os sentimentos mais profundos como o amor, a felicidade, a angústia, tristeza, saudade, dor…

Por isso, por mais que muitos romances, contos, podem ser considerados arte sem sombra de dúvidas, consideramos que a poesia é o formato mais artístico da literatura principalmente por causa do cuidado estético.

Como as outras formas de arte, o poema retrata as diferentes épocas e seus costumes. Além, claro, de mostrar as diferentes maneiras de se usar o português em cada uma.

Por exemplo, na época do barroco (séc XVI), os temas mais tratados nos poemas eram religiosos. Por falar de temas muito sérios e com o “cara lá de cima”, a língua era bem mais formal.

Já na era moderna, a partir do século XIX, as correntes literárias já utilizavam um português que se aproxima do nosso como o romantismo, realismo-naturalismo (Machado de Assis), simbolismo e finalmente o modernismo.

No modernismo, os poetas traziam temas mais atuais do homem urbano como seu próprio cotidiano, hábitos comuns, as relações pessoas, os dramas psicológicos, etc. Eles eram a favor da liberdade e não obedeciam a métrica das poesias como antigamente.

Veja aqui a seleção de alguns poetas que marcaram nossa escolaridade:

  • Luís de Camões (português, 1524 – 1579 ou 1580):
    “Amor é fogo que arde sem se ver;
    É ferida que dói, e não se sente;
    É um contentamento descontente;
    É dor que desatina sem doer (…).”
  • Gonçalves Dias (brasileiro, 1823 – 1864):
    “Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá; As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá”. – Canção do Exílio
  • Oswald de Andrade (brasileiro, 1890 – 1954):
    “Dê-me um cigarro
    Diz a gramática
    Do professor e do aluno
    E do mulato sabido
    Mas o bom negro e o bom branco
    Da Nação Brasileira
    Dizem todos os dias
    Deixa disso camarada
    Me dá um cigarro.” – Pronominais
  • Carlos Drummond de Andrade (brasileiro, 1902 – 1987):
    “No meio do caminho tinha uma pedra
    tinha uma pedra no meio do caminho
    tinha uma pedra
    no meio do caminho tinha uma pedra(…). – No Meio do Caminho, Carlos Drummond de Andrade
  • Vinícius de Moraes (brasileiro, 1913 – 1980):
    “De tudo ao meu amor serei atento
    Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
    Que mesmo em face do maior encanto
    Dele se encante mais meu pensamento. (…)” – Soneto da Fidelidade, Vinícius de Morais
  • Clarisse Lispector  (naturalizada brasileira, 1920 – 1977):
    “Ela é tão livre que um dia será presa.
    – Presa por quê?
    – Por excesso de liberdade.
    – Mas essa liberdade é inocente?
    – É. Até mesmo ingênua.
    – Então por que a prisão?
    – Porque a liberdade ofende.” Clarisse Lispector

A música brasileira no aprendizado do português

Somos um país musical. Tudo dá samba no Brasil, literalmente! Adoramos utilizar a língua portuguesa para fazer letras de samba, MPB, rock, reggae, sertanejo, funk…

Visite a Bahia e conheça a origem do Brasil A fitinha de Nossa Senhora do Bonfim já é uma marca registrada nossa

Todos sabem as letras de cor! E é por isso que somos incentivados a aprender a língua desde pequeno graças a música. Se você é da década de 80 ou 90, certamente deve lembrar do Abecedário da Xuxa, não é? Aquela música que ensinava as letras para os pequenos.

Com a música, nós aprendemos a rima, por exemplo. Veja no exemplo da música Ta-Hí interpretada por Carmen Miranda e composta por Joubert de Carvalho na década de 30:

“(…) Meu amor, não posso esquecer
Se dá alegria faz também sofrer
A minha vida foi sempre assim
Só chorando as mágoas que não têm fim (…)”

Vamos dar outro exemplo de uma música de 1939: Aquarela do Brasil de Ary Barroso:

“Brasil
Meu Brasil brasileiro
Meu mulato inzoneiro
Vou cantar-te nos meus versos
Ô Brasil, samba que 
Bamboleio que faz gingar
Ô Brasil, do meu amor
Terra de Nosso Senhor (…)”

Além disso, é uma das músicas brasileiras mais conhecidas internacionalmente, depois de Garota de Ipanema de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, claro:

“Olha que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela, menina
Que vem e que passa
Num doce balanço
A caminho do mar
Moça do corpo dourado
Do sol de Ipanema
O seu balançado é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar (…)”

Sem contar com as obras primas que Chico Buarque compôs, até do ponto de vista da língua portuguesa. Construção é um exemplo de música que Chico utilizou vários recursos da linguagem para criá-la. Há rimas e figuras de linguagem riquíssimas. Mas o mais impressionante é a mudança do sentido da letra só trocando as últimas palavras dos versos. É genial!

Aprenda português com o cinema brasileiro

A cultura do Brasil é bem rica e o cinema não fica para trás. Nossos primeiros passos na 7ª arte com Humberto Mauro no início da década de 20.

Nós também temos muitos espetáculos bons do Brasil Nossos teatros também já foram ocupados por peças de vários dramaturgos brasileiros

As produções vão se tornar mais numerosas e expressivas a partir do Cinema Novo. A corrente foi influenciada pelo neorrealismo italiano e a nouvelle vague francesa. O neorrealismo vai pregar um cinema bem próximo da realidade, sem muitos recursos cinematográficos e valoriza a beleza do simples, do real.

Já a nouvelle vague vai inovar mais nas formas de filmar as cenas, os enquadramentos, as montagens. Era um cinema bem transgressor utilizando muitas figuras de linguagem como a intertextualidade. O diretor francês Godard, por exemplo, adorava conversar com os telespectadores sobre a maneira como ele fez seus filmes no meio de seus filmes.

Já para nós, brasileiros, pegamos alguns traços dessas correntes europeias e colocamos traços da nossa realidade. Vamos citar duas obras primas do gênero: Rio 40 Graus de Nelson Pereira dos Santos e Terra em Transe de Glauber Rocha.

O primeiro filme é um semi-documentário sobre a vida de cinco moleques na capital carioca. Já o segundo fala de um país fictício governado por um tirano e as falcatruas políticas para decidir quem fica no poder.

Depois do Cinema Novo, tivemos também vários filmes representativos da nossa cultura na década de 70. Dona Flor e seus Dois Maridos (1976) de Bruno Barreto é uma boa adaptação cinematográfica do romance homônimo de Jorge Amado.

Outro filme muito interessante dessa época e que retrata muito bem nossos costumes é Bye, Bye Brasil (1979) de Cacá Diegues.

Já o cinema contemporâneo brasileiro possui muitos diretores de peso. Um filme que chamou atenção internacional foi Central do Brasil (1998) de Walter Salles.

Mas o filme que levou nosso cinema para as telas de todo o mundo é, sem sombra de dúvidas, Cidade de Deus (2002) de Fernando Meirelles.

Seguindo um caminho parecido com o da obra de Meirelles, Tropa de Elite (2007) de José Padilha também foi um sucesso mundial.

A influência dos escritores na língua portuguesa

Nós já falamos de alguns poetas brasileiros. Mas quase não há como ser poeta sem ser escritor, certo? Por isso, muitos deles têm suas obras marcadas pelos romances, contos além de seus poemas.

Aqui, escolhemos os escritores unicamente brasileiros para falar da literatura do nosso país. Vamos falar um pouco sobre algum deles em ordem cronológica:

  • José de Alencar 1829 – 1877: O escritor é considerado o pai da literatura tipicamente brasileira. Isso porque ele foi o primeiro a tratar assuntos propriamente do Brasil como lendas, costumes, tradições.

O povo indígena é muito importante para a formação do país Eles também contribuem com nossa língua e cultura

  • Machado de Assis 1839 – 1908: Machado não se atrelou especificamente a nenhuma corrente literária da época, apesar de seus livros terem marcas do realismo (Flaubert) e naturalismo (Zola) europeu. Os personagens de Assis eram meticulosamente estudados e falavam muito de hábitos do Brasil do século XIX como a burguesia da época.
  • Cora Coralina 1889 – 1985: Cora foi uma das primeiras mulheres a se inserir no meio literário que era muito machista, como todos os outros. Ela não escrevia como as mulheres de sua época. Cora Coralina não obedecia regras de métrica, sonetos… Ela escrevia como queria.
  • Guimarães Rosa 1908 – 1967: Grande Sertão: Veredas, a grande obra do escritor que trouxe para literatura uma linguagem muito original: expressões típicas do sertão, algumas palavras em desuso do português e a utilização de figuras de linguagem como a aliteração, onomatopeia e o neologismo.
  • Lygia Fagundes Telles – 1923: A autora explora o mundo feminino com vários de seus personagens mulheres. A psicologia desses personagens também está presente em suas obras. Suas principais obras são As Meninas e Seminário dos Ratos.
Compartilhar

Nossos leitores curtem este artigo
Este artigo trouxe a informação que você estava procurando ?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *