A revista que adora os profes, os alunos, as aulas particulares e o intercâmbio de saberes

Como usar o cálculo matemático para seduzir?

Par Carolina le 20/10/2016 Blog > Reforço escolar > Matemática > A lógica matemática e a sedução são compatíveis?
Table des matières

E se a matemática fosse uma disciplina super valorizada?

E se fosse possível amar a matemática que, normalmente, nos dá muita dor de cabeça, enxaqueca e às vezes uma total rejeição?

E se alguém te dissesse que, graças a matemática, é possível aumentar seu poder de sedução?

Ah… pode falar que agora o seu olhar para a matemática mudou por causa disso, não é?

Fazer matemática para seduzir… irresistível, não?

Entre as revelações do matemático Edward Frenkel e os estudos americanos da universidade de Iowa, a matemática vai se revelar para você em um ângulo agradável e interessante!

O caso de Edward Frenkel

Em sua obra Amor e Matemática, o autor e sobretudo matemático Edward Frenkel (que ensina na universidade de Berkeley) quer compartilhar o seu amor, ou seja, sua paixão pela matemática.

Pesquisador e iconoclasta, esse homem quer nos mostrar a matemática de um jeito diferente. Ele demonstra isso com uma certa poesia, uma beleza, uma fineza e elegância de pensamento na elaboração de seus teoremas.

Ele aproveita para contar ao leitor a sua trajetória atípica, como ele deixou a Rússia para entrar em uma das universidades mais prestigiosas do mundo, Harvard com apenas 21 anos.

Matemática rima com amor? Para Edward Frenkel sim! O matemático Edward Frenkel

Mas quem é Edward Frenkel exatamente? Qual é o seu propósito?

Além das aparências, esse homem é membro de sociedades científicas notáveis e premiado professor da universidade de Berkeley onde ele ensina curso de matemática.

Uma trajetória atípica

Desde muito jovem, Edward Frenkel se diz apaixonado pela ciência e as descobertas matemáticas. Uns amigos de seus pais rapidamente perceberam isso e mostraram para ele as bases da física quântica e a matemática.

Enquanto alguns jovens de sua idade se perguntavam quanto tempo demoria para se tornar bom em matemática, outros perderam a cabeça para identificar e memorizar o vocabulário essencial da matemática, o jovem Frenkel foi muito mais além e mergulhou no universo de Pitágoras, Tales e Euclides.

Foi, então, amor a primeira vista para o jovem Frenkel que, mesmo morando a duas horas de trem de Moscou, se inscreveu o mais rápido possível na universidade do estado, a famosa MGU. Ele se uniu aos principais matemáticos russos que estavam todos reunidos no centro MekhMat, o departamente por excelência dos matemáticos e mecânicos.

Ora, o ano era 1984 e a Rússia ainda se chamava URSS e era totalmente soviética: apesar de todo o seu talento e o fato de ser superdotado, Edward Frenkel foi eliminado do concurso da universidade, aparentemente por causa do forte antissemitismo latente.

Enquanto ele saiu da sala sem esperanças, um dos examinadores foi falar com ele e sugeriu que ele entrasse na Kerosinka, um instituto reputado por acolher jovens prodígios judeus e ascendentes judaicos.

Nesse instituto, Frenkel fez encontros determinantes com grandes matemáticos. Ele publicou seus primeiros artigos internacionais.

Em 1989, ele foi convidado pela Harvard e depois pela Berkeley e se engajou em vários projetos do programa de Langlands.

Os encontros e projetos não deram muito certo, mas Frenkel continuou fiel ao « programa de Langlands ».

Mas o que é isso?

Esse programa queria estabelecer paralelos entre domínios aparentemente diferentes. Em consequência disso, Frenkel quis responder a pergunta: a gente pode amar a matemática?

De acordo com o gênio matemático, a matemática tem uma beleza que pode conquistar qualquer pessoa: não importa a religião, passado, experiências vividas, educação, a matemática é um domínio que interessa potencialmente todo mundo.

Há também uma beleza conceitual na matemática para Frenkel, como uma ligação que une a matemática e a pintura: a maneira como são elaboradas as verdades matemáticas como um teorema, uma hipótese.

É então que o autor propõe uma ideia inovadora através do projeto de curta-metragem Rites Of Love and Math.

É um pequeno filme, uma homenagem ao escritor japonês Yukio Mishima, construído em torno de uma ideia singular: existiria uma fórmula do amor mas ela pode levar o seu autor a sua perda.

A gente vê os matemáticos nus tatuarem a equação do amor com um bambu na barriga de suas musas.

Mas essa equação existe? Ou é só para mostrar que a matemática tem esse perfume embriagante?

Matemática influencia no amor? Os matemáticos podem nos ajudar a amar?

O livro Amor e Matemática não é como os outros. Um tipo de óvni literário brilhante e lúdico onde se mistura autobiografia, filosofia e teorias da matemática.

Seduzir com a matemática

Para continuar o trabalho de Edward Frenkel, uma equipe de pesquisadores da universidade de IOWA  finalmente teria achado o que os matemáticos procuram desde sempre: um método que aumenta suas chances de encontrar seu amor online.

Esse método embasado nas técnicas já utilizadas pelos grandes Netflix e Amazon para fidelizar e atrair novos clientes.

Ela é baseada nas recomendações feitas para os usuários de acordo com seus gostos e não mais sobre um simples perfil pessoal incompleto.

A matemática pode te ajudar a seduzir? Existe uma fórmula mágica? Parece que há pessoas que realmente acreditam nisso.

equações podem definir o amor? O amor simplificado com a matemática

Esse método matemático se baseia nos seus gostos, atrações ou repulses: a gente está falando, então, de filtros colaborativos.

De acordo com essa teoria, os pesquisadores da IOWA disseram que cada pessoa tem 40% a mais de chance de encontrar alguém que a corresponde com esse método.

Mesmo se não é uma ferramenta revolucionária e inteiramente fiável, ela permite de filtrar alguns encontros.

É importante ressaltar que, nos Estados Unidos, 1 em cada 3 casamentos acontecem graças a encontros online.

A gente pode questionar sobre a pertinência de tal fórmula matemática porque os sentimentos são, por natureza e por definição, instintivos, espontâneos e nenhum algoritmo pode realmente prever as chances de sucesso de um novo casal.

A fórmula do amor à primeira vista não existe, mas os matemáticos podem ajudar os sites de encontros a otimizar os parâmetros de encontro online.

Uma fórmula do amor?

Para responder a questão de Edward Frenkel, « existe uma equação do amor? », psicólogos e matemáticos se debruçaram sobre esse enigma matemático. A ideia era ajudar na compreensão do sentimento de amor e mais amplamente explicar o mundo através da matemática.

E se os matemáticos, principalmente as estatísticas, ajudassem a encontrar o grande amor?

O número mágico: 5

Os sites de encontros rivalizam oferecendo cada vez mais engenhosidades e publicidades para nos ajudar a encontrar a alma gêmea. Há mesmo aqueles que preveem a data de nossos casamentos! Porém, novos estudos indicam que tudo dependeria da quantidade de ex namorados que tivemos, seja para você quanto para o parceiro.

E o número incrível seria o… 5.

De fato, depois de ter 5 namoros sérios, estaríamos preparados para escolher o que queremos ou não no nosso próximo e futuro parceiro ideal.

Quer testar a equação matemática você mesmo?

Uma fórmula explosiva

Os matemáticos descobriram que é possível descrever matematicamente esse fenômeno extraordinário e verificar as várias repetições onde ele acontece.

A matemática tem uma fórmula mágica para o amor? A escolha do amor pela matemática ou a matemática do amor

A fórmula mágica que explica esse número 5 pode ser adaptada tanto para os heterossexuais quanto para os homossexuais.

Veja:

L = 8 + 0.5Y – 0.2P + 0.9Hm + 0.3Mf + J – 0.3G + 0.5 (Sm – Sf) 2 + I + 1.5C

O que significa isso?

  • L seria a duração da relação ao longo dos anos
  • Y é o total de tempo em anos que os 2 parceiros se conhecem antes da relação ser séria
  • P é o total de parceiros precedentes dos 2 parceiros potenciais
  • Hm é a importância que o homem dá a sinceridade na relação
  • Mf é a importância que a mulher dá para o dinheiro em uma relação
  • J é a importância de ter um humor, uma personalidade parecidos
  • G é a importância que os parceiros dão à aparência
  • Sm e Sf correspondem a importância que cada um dá ao sexo
  • I é a importância de se dar bem com a família do parceiro

Todas essas medidas arbitrárias, naturalmente, são avaliadas em uma escala entre « 1 » (que indica nenhuma importância) e « 5 » (grande importância).

Matemática e espiritualidade?

Você sabia que existe uma ligação entre numerologia e matemática?

O número mágico do amor? Existe um número mágico?

O número 5, justamente, é dedicado ao ser humano. Ele representa os 5 sentidos.

Se a gente olhar mais de perto, o 5 é construído com um semicírculo, um semiquadrado que estão em oposição um do outro. Cada um procurando se complementar com um elemento geométrico que não se parece com ele.

Eles falam da procura do enquadramento do círculo, a comunhão entre o círculo e o quadrado, o masculino e o feminino.

Enquanto o homem procura sua alma gêmea para preencher um tipo de vazio, o número « 5 » expressa essa procura.

Na numerologia, o número 5 expressa o sentimento amoroso, o que faz ele ter um valor único.

Então, surge a pergunta: podemos associar os matemáticos com a sedução e o amor?

Normalmente a gente associa os matemáticos com o poker…

A matemática pode nos ajudar a encontrar uns aos outros?

E, no entanto, a gente esquece rapidamente que o amor é um vetor essencial da aprendizagem, do autoconhecimento e de outras descobertas.

Mais que uma simples disciplina, às vezes obscura para alguns, os matemáticos acham que eles têm uma ferramenta mágica que está ao alcance de todos (será?).

Você também, faça rimar matemática com amor! Mas não se esqueça que a sedução também contém outros ingredientes próprios a personalidade de cada um e o contexto no qual ela se faz.

Nos précédents lecteurs ont apprécié cet article

Cet article vous a-t-il apporté les informations que vous cherchiez ?

Aucune information ? Sérieusement ?Ok, nous tacherons de faire mieux pour le prochainLa moyenne, ouf ! Pas mieux ?Merci. Posez vos questions dans les commentaires.Un plaisir de vous aider ! :) (Soyez le premier à voter)
Loading...
Carolina
Quero aprender italiano e espanhol, mas preciso mesmo é do inglês... Leio as plaquinhas nos museus, gosto de música e de cinema dos anos 70. De agora, só o Pablo do arrocha que serve.

Commentez cet article

avatar
wpDiscuz