Música Reforço escolar Idiomas Aulas particulares
Compartilhar

História, fabricação, sonoridades: tudo sobre o instrumento mágico!

De Fernanda, publicado em 22/02/2017 Blog > Música > Violão > Quais as principais características da guitarra elétrica?

Ponte, captadores, tarraxas, cordas, correia… A guitarra elétrica é composta por dezenas de elementos, nem sempre conhecidos do grande público e até mesmo de músicos principiantes. Você saberia dizer quais as partes que compõem uma Telecaster, Stratocaster, Cort, Gibson, Jumbo ou Yamaha?

O mais interessante é que cada elemento tem um papel decisivo na definição do tipo do som que será emitido pelo instrumento.

Portanto, saiba que é fundamental escolher bem a sua guitarra, seu amplificador e os acessórios que os acompanham, tudo isso de acordo com o som e os efeitos que você deseja alcançar (vibrato, floyd, wah wah, overdrive…)

Você também pode criar seu próprio som acrescentando pedais ou então regulando os botões do seu amplificador de um jeito específico. Só assim você vai conseguir tocar bem o seu estilo preferido: jazz, rock, blues, folk, mpb, samba, pop, metal….

Uma bela diversão, não é mesmo?

Para saber mais sobre esse objeto fetiche de tantos roqueiros e músicos pelo mundo, que tal mergulhar nesse universo mágico da guitarra?

Mariana

Nossos professores são realizados

”Com o Superprof, eu consegui encontrar alunos sérios, motivados e com vontade de aprender. Eu recomendo o Superprof!”

A grande história da guitarra elétrica

De onde vem esse instrumento tão perfeito que está em suas mãos?

Alguns arqueólogos afirmam ter descoberto indícios de instrumentos de cordas como a harpa e a tambura há mais de 3.500 anos. Estima-se que o primeiro violão foi inventado nessa mesma época, por uma cantora egípcia chamada Har-Morse. A história da guitarra é muito rica!

Mas a primeira guitarra foi inventada em 1920, nos Estados Unidos, pelo engenheiro Lloyd Loard. Essa invenção só foi possível graças ao surgimento do microfone de bobina móvel no começo do século – mais conhecidos como captadores.

Somente no ano de 1931, onze anos mais tarde, que a primeira guitarra « Frying Pan » (ou frigideira, em português) começou a ser vendida nos Estados Unidos, pela empresa Rickenbacker.

No Brasil, na década de 1950, as Big Bands foram as primeiras a utilizarem os « violões elétricos », certamente importados de outros países.

Jimi Hendrix, o guitarrista do século! Tantos personagens já marcaram a história da guitarra… Um deles foi o intérprete famoso de Hey, Joe!

Quando falamos em guitarra, muitos são os estilos de música que já passaram pela história desse instrumento. Blues, rock, pop, jazz, metal, hard rock… A guitarra está presente em todos os palcos, claro, com um modelo específico para cada estilo.

Além disso, você sabe quais foram os seis guitarristas mais conhecidos e famosos de todos os tempos? Reserve um tempo para escutar esses clássicos: seu universo musical com certeza mudará para sempre!

1. Jimi Hendrix

2. BB King

3. Eric Clapton

4. Carlos Santana

5. Keith Richards

6. Chuck Berry

Os elementos que compõem uma guitarra

O trabalho do luthier é uma verdadeira arte. Os bons luthiers, conhecidos como profissionais especializados na construção e no reparo de instrumentos de corda com caixa de ressonância (guitarra, violino, harpa etc.), têm o domínio completo de todas as etapas de fabricação da guitarra. Eles também são personagens incontestáveis que compõem a história da guitarra elétrica.

Quando a guitarra chega em nossas mãos, já está prontinha para ser tocada. Mas você sabia que ela passa por um processo detalhado de fabricação?

Conheça alguns passos desse procedimento:

  1. Como qualquer fabricação artesanal, ela começa pela produção individual de cada parte do produto. Uma guitarra é basicamente composta pela mão, pelo braço e pelo corpo. Um verdadeiro ser vivo! Cada uma dessas partes é construída com diferentes tipos de madeira (jacarandá, o ébano, o cedro, o mogno, o marfim, o ácer…)
  2. Depois disso, vem a etapa de montagem. Todas as partes são reunidas e soldadas e dão forma ao instrumento. O luthier termina a composição com o acabamento.
  3. A última etapa é a aplicação do verniz na madeira. Isso influencia bastante na hora da precificação. Os captadores são instalados depois da terceira etapa, para que não interfira na montagem das etapas anteriores.

Quais são as principais partes da guitarra?

Uma das principais partes da guitarra é, com certeza, o seu corpo – também chamado de caixa de ressonância. Ele pode ser maciço ou conter uma ou mais partes ocas. Isso vai gerar os diferentes estilos de guitarras como as sólidas, acústicas ou semi-acústicas. É no corpo que encontramos os captadores, a ponte, a alavanca, o escudo, a chave seletora, a regulagem do volume, o jack de entrada e a roldana para prender uma correia de suporte. 

Depois do corpo, podemos falar do braço da guitarra. Local onde pressionamos os dedos para tocar, é dividido em duas partes: uma é a madeira do braço, que fica na parte de trás e a outra parte é a tábua de madeira na frente do instrumento, chamada de escala. No braço, encontramos os trastes, as casas, a marcação das casas e as cordas. 

Por fim, há a mão da guitarra, que é o local onde você consegue regular as cordas individualmente. Nele, encontramos as tarraxas, o parafuso de regulagem do tensor e a pestana.

A guitarra elétrica pode ser produzida por um luthier. Quais as partes da guitarra? Um braço, uma mão e claro, o corpo!

Depois de alguns anos, seu instrumento pode começar a apresentar alguns sinais de que algo está errado. Não espere sua guitarra dar sinais de problemas irreversíveis para levá-la ao conserto. Todas as partes do instrumento podem ser reparadas. Procure um luthier ou outro serviço especializado o quanto antes!

Os sons e os efeitos de uma guitarra elétrica

Casado de tirar os mesmos acordes e dedilhados do seu instrumento? Mergulhe fundo no mundo da distorção!

Graças ao pedal, por exemplo, você consegue sonoridades incríveis, dificilmente alcançadas com uma simples guitarra clássica ou acústica: chorus, delay, reverb, wah wah, compressor, distorção, drive… ou então Korg, footswitch, digitech, mesa boogie ou vox…

O amplificador que acompanha a sua guitarra também pode servir para criar os melhores efeitos possíveis.

Escolher um bom amplificador, comprar um pedal, cuidar da sua guitarra, alternar as palhetas… Muitas são as técnicas e as possibilidades na hora de tocar guitarra e conseguir sons diferentes.

Saiba também que você pode variar o som da sua guitarra em função do modelo que escolher. Por isso que a escolha do seu instrumento é um dos momentos mais importantes e que irá definir o seu estilo musical. Depois de comprar o seu instrumento, é fundamental saber como cuidar bem dele. Um exemplo disso é trocar as cordas quando for necessário. É aconselhável trocar o jogo inteiro de cordas a cada vez. Se você não fizer isso, vai ter uma corda que vai soar muito melhor do que as outras cinco, afetando a harmonia dos acordes. E atenção às mudanças climáticas! Tudo isso pode influenciar no estado de conservação do seu instrumento.

Afinar as cordas ajuda na manutenção da guitarra. Nunca se esqueça de afinar seu instrumento, mesmo que não toque naquele momento.

Você também vai precisar escolher um bom amplificador. Existem três tipos de amplificadores:

Os valvulados, que são mais dinâmicos, pois a diferença entre volume baixo e volume alto é grande. Tocar com um amplificador valvulado significa ter controle total sobre o timbre emitido.

Já os amplificadores transistorizados costumam ser a melhor opção de custo-benefício para os músicos. Fora isso, possuem peso e dimensões reduzidas, além de menor consumo de energia e boa potência.

Por fim, há os amplificadores híbridos, que possuem tanto um estágio valvulado, quanto transistorizado.

O pedal também é um equipamento fundamental para o guitarrista que que fazer efeitos incríveis na guitarra. Conheça os principais:

1. O reverb

2. O chorus

3. Flanger

4. Vibrato e trêmulo

5. Wah wah

Técnicas para tocar uma guitarra

Tocar guitarra ou violão (folk, acústica, semi-acústica, elétrico…) exige motivação e frequência. Depois de comprar seu instrumento, o amplificador e todos os acessórios necessários (palheta, cordas, case, correia…), é preciso começar os estudos.

Todas as técnicas existentes têm um papel importante musicalmente: variar os estilos e diferenciar as músicas. Conheça aqui as principais:

  • Palheta alternada: pegue a palheta com sua mão direita ou esquerda (se canhoto). Em seguida, toque individualmente cada corda ou várias cordas ao mesmo tempo: o importante aqui é tocar uma vez para baixo e outra para cima, alternadamente. Procure utilizar uma palheta mais fina, com menos de um milímetro de espessura.
  • O legato ou a ligadura: consiste em executar certo grupo de notas palhetando o mínimo possível, sem que haja interrupção do som entre elas. Na verdade, você utiliza o som da mesma palhetada para pressionar várias notas. Nessa técnica há o hammer-on e o pull-off.
  • Sweep picking: utilizada para tocar arpejos em alta velocidade. Basicamente, a palheta toca as cordas em um só sentido com a mão direita (para cima ou para baixo) e a mão esquerda toca as notas. Cada corda deve ser tocada individualmente pela palheta.

Além dessas técnicas, você pode também arriscar reproduzir os movimentos e estilos dos seus guitarristas preferidos. A internet pode ajudar muito nessa empreitada! Mas saiba que cada estilo é muito pessoal e dificilmente você conseguirá imitar os sons exatamente como eles são emitidos pela guitarra do seu ídolo.

Uma última alternativa é criar sua própria técnica! Aproveite o universo musical que está a seu alcance, os tutorias do Youtube, suas habilidades e solte sua imaginação! Improvisação e muita prática são fundamentais nessa hora!

Conheça os tipos de guitarra e sua composição

Ibanez, Cort, Fender… entre marcas, modelos, equipamentos, seja você destro ou canhoto, essa escolha é decisiva para seus estudos de guitarra e vai determinar o seu progresso na aprendizagem do instrumento. Os mais diversos modelos de guitarra e violão estão disponíveis para quem quer aprender!

As guitarras podem ser classificadas de acordo com suas características de fabricação. Essas características variam muito.

Você pode, por exemplo, escolher em função do número de cordas que ela possui. Da clássica de seis cordas, passando por 4, 7 e 12 cordas: cada uma emite um som diferente e mais adequado a um determinado estilo musical.

Escolhendo a marca e a espécie de instrumento que você irá tocar. São tantos os modelos e os tipos de guitarras… Defina o seu!

Você também vai precisar escolher o modelo de captador que quer. Existem três tipos: os simples ou single-coil, os duplos ou humbuckers e os híbridos. Esses modelos também determinam os diferentes sons e efeitos da guitarra

Além disso, você pode adotar o modelo da sua guitarra pelo tipo de caixa de ressonância que ela possui. Conheça os principais:

  • Guitarras clássicas: que possuem o corpo totalmente sólido.
  • Guitarras acústicas: tem a caixa inteiramente acústica (oca).
  • Guitarras semi-acústicas: tem a caixa parcialmente acústica (oca).

Outro diferencial é o tipo de ponte possível. Existem as pontes fixas e as pontes móveis.

Enfim, você percebeu que as possibilidades são numerosas, não é mesmo? Mergulhe então nesse universo e descubra qual o modelo mais adequado para você!

Compartilhar

Nossos leitores curtem este artigo
Este artigo trouxe a informação que você estava procurando ?

Nenhuma informação ? Sério ?Ok, trabalharemos o tema num próximoNa média, ufa !Obrigado. Deixe suas dúvidas nos comentários.Estamos muito felizes em te ajudar ! :) (média de5,00 sob 5 de 1 votos)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *